“Competitividade e Sustentabilidade do Espaço Insular” impõem reflexão

X Conferência do Atlântico motiva elogio governamental. 25-11-2016 Educação
“Competitividade e Sustentabilidade do Espaço Insular” impõem reflexão O Secretário Regional de Educação, Jorge Carvalho, em representação do Presidente do Governo Regional da Madeira, participou esta quinta-feira (24 de novembro), na sessão de abertura da X Conferência do Atlântico, que decorre no Museu de Imprensa da Madeira até 26 de novembro.
O governante realçou a pertinência do tema, “Competitividade e Sustentabilidade do Espaço Insular”, a que está subordinada a iniciativa da Associação Insular de Geografia (AIG), em parceria com a Câmara Municipal de Câmara de Lobos.
 
«Trata-se de uma temática de grande atualidade e interesse, cujo alcance para a criação de conhecimento crítico sobre a realidade insular é inegável. De facto, os caminhos do desenvolvimento e do progresso já não se fazem sem a ponderação de fatores como a competitividade e a sustentabilidade», sublinhou Jorge Carvalho.
«A competitividade deve basear-se na afirmação das nossas melhores potencialidades, nos fatores que nos distinguem dos outros, nas expressão das condições que nos colocam em posição favorável a obtermos sucesso; a sustentabilidade deve garantir-nos que a afirmação das nossas potencialidades, a exponenciação dos fatores que nos tornam únicos e a expressão do sucesso, não podem solucionar apenas problemas de curto prazo, numa lógica imediatista e circunstancial», consubstanciou.

 

A circunstância insular da Madeira reforça a necessidade de reflexão sobre o tema, sustentou o Secretário Regional.
«Sabemos bem, na Região, o quanto temos de ser competitivos para podermos minorar problemas de escala, consequências da insularidade e ditames da ultraperiferia. Sabemos também quanto valor tem, no enfatizar dessa competitividade, que os nossos projetos comuns decorram sob o paradigma da sustentabilidade, assegurando para as gerações vindouras qualificação, conhecimento, prosperidade e bem-estar. Nesse quadro, importa sempre dimensionar um compromisso ambiental sério e consequente, um progresso económico que respeite as nossas idiossincrasias, um desenvolvimento humano que nos torne cidadãos adaptados às demandas globais mas também capazes de organizar e solucionar as agendas locais», preconizou Jorge Carvalho, elogiando, de seguida, a iniciativa da AIG e a qualidade dos conferencistas ali presentes.