Escola como local de projetos de vida

Ideia explanada pelo Secretário Regional de Educação no XII Colóquio CIE-UMa “(Contra) Tempos de Educação e Democracia, evocando John Dewey”. 06-12-2016 Educação
Escola como local de projetos de vida O Secretário Regional de Educação, Jorge Carvalho, participou esta terça-feira (6 de dezembro), na Sessão de Abertura do XII Colóquio CIE-UMa “(Contra) Tempos de Educação e Democracia, evocando John Dewey”, que decorre no Auditório da Reitoria da UMa até amanhã.
O governante elogiou o Centro de Investigação em Educação por promover o debate em torno da Educação e da Democracia, evocando o filósofo John Dewey, quando se assinala o centenário de “Democracy and Education”, considerado o livro marcante da sua carreira.
 
«Esta obra assenta numa filosofia em que a educação apela à democracia, à participação e à ação na esfera pública, a partir da escola, para que através desta seja alcançada uma sociedade mais justa, mais solidária e mais equitativa. Outro princípio de John Dewey era o de encarar a educação como um instrumento para a resolução de problemas reais, a experiência enquanto geradora de conhecimento», apontou Jorge Carvalho, considerando a filosofia do norte-americano sinónimo de valorização da pessoa e da sua vivência democrática.
 
«O importante é valorizar o aluno, a criança, as suas vivências, as suas experiências. Olhar a escola como o local de construção de projetos de vida, onde podemos preparar os nossos alunos para serem cidadãos participativos, críticos e, sobretudo, pensantes. Cidadãos que criem, inovem, que empreendam e vençam na vida», preconizou o Secretário Regional, relevando o papel dos professores, enquanto «corpo altamente especializado que faz a diferença e incentiva os alunos para a vivência democrática».
«Uma escola democrática é aquela que apresenta soluções para todos, inclusiva. É isso que nós entendemos», concretizou Jorge Carvalho.