Hotelaria da Região acima dos 92%

Melhor ocupação hoteleira dos últimos seis anos 27-12-2016 Economia, Turismo e Cultura
Hotelaria da Região acima dos 92% «É mais uma excelente notícia e é, sem dúvida, a melhor forma de encerrarmos um ano que tem sido de crescimento a todos os níveis, neste setor, o que nos deixa altamente satisfeitos, confiantes e, naturalmente, motivados para o futuro».
É desta forma que o Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, comenta a última sondagem, desenvolvida pela Direção Regional de Turismo à hotelaria regional, no que respeita à previsão da ocupação para o fim-de-ano. Ocupação que, a se confirmar, será a melhor dos últimos 6 anos, situada acima dos 92%.
Comparativamente à auscultação realizada no passado mês de novembro, por ocasião da conferência de imprensa de apresentação do programa oficial, verificou-se um aumento de 2 pontos percentuais nesta estimativa, situando-se agora nos 92%. Trata-se da melhor ocupação aferida nos últimos 6 anos, superior à de 2015 – estimada em 91% - e à de 2014 – que rondou os 90%, e bem distante daquelas que foram apuradas, por exemplo, em 2010, 2011 e 2012 – 77%, 66% e 78%, respetivamente.
«A se confirmarem estas sondagens, estamos a falar da melhor ocupação do destino, nesta data, nos últimos anos, o que, obviamente, nos faz encerrar este que é o melhor ano de sempre para o turismo da Madeira, com resultados expressivos que, deixando-nos satisfeitos, são, sem dúvida, a melhor forma de homenagear todos aqueles que trabalham neste setor e que, ao longo deste ano, em muito contribuíram para que atingíssemos estes patamares», sublinha Eduardo Jesus.
«Salda-se, assim, o ano de 2016, com uma grande expetativa para 2017, visando, acima de tudo, manter os níveis de ocupação e a tendência de crescimento no preço com que, atualmente, se vende a Madeira e o Porto Santo. É a melhor forma de valorizar o setor, de valorizar as Unidades que compõem a oferta e, simultaneamente, permitir que o destino tenha, no futuro, capacidade de investimento na sua requalificação, garantindo-se, assim, uma capacidade de resposta e uma correspondência à expetativa das pessoas que nos procuram», reforça o governante.