Orçamento da RAM para 2017

Orçamento para 2017 mantém o rumo traçado ao serviço de uma Região mais competitiva, com mais qualidade de vida e com mais justiça social 16-12-2016 Finanças e da Administração Pública
Orçamento da RAM para 2017

O Secretário Regional das Finanças e da Administração Pública, Rui Manuel Gonçalves, voltou a defender, hoje, o Orçamento para 2017, “que a todos beneficia, mas que dá uma atenção especial àqueles que dispõem de menos recursos” e acusou a Oposição de balançar entre a demagogia e a falta de ideias válidas.

Durante o debate de encerramento do Orçamento, na Assembleia Legislativa da Madeira, o governante acusou alguns partidos de porem à frente dos interesses da Madeira, os interesses da ocasião, os interesses partidários e até, em alguns momentos, os interesses e as motivações do Governo da República.

“Todo este comportamento da Oposição só pode ser explicado pela falta de argumentos face a um Orçamento que eleva o poder de compra das famílias, devolvendo 6,5 milhões de euros de rendimentos em 2017 (12,5 milhões de euros nestes dois anos de mandato) ”, realçou o Secretário Regional.

O responsável pelas Finanças salientou, também, que o Governo Regional manterá o rumo traçado ao serviço de uma Região mais competitiva, com mais qualidade de vida e com mais justiça social, para que todos se sintam mais seguros e confiantes no futuro.

Por isso, reforçou, o Orçamento para 2017 é um orçamento que repõe o subsídio de insularidade, beneficiando mais de 19 mil famílias, aumentando rendimentos em mais de 4,5 milhões de euros.

É um orçamento, continuou o Secretário Regional, que incentiva a economia, ao garantir dotações superiores a 45 milhões de euros para as iniciativas empresariais e que fomenta o emprego, promovendo programas de apoio à empregabilidade e à formação.

Além disso, lembrou, é um Orçamento que concretiza investimentos nos 11 concelhos da Região, que darão trabalho a pequenas e médias empresas, ao mesmo tempo que promove o bem-estar das famílias, canalizando mais de metade das dotações disponíveis para as áreas sociais.

“É um Orçamento que aumenta as transferências para a Saúde, garantindo a melhoria da prestação generalizada dos cuidados de saúde e que, na área da Educação, aposta no aumento da oferta e na qualidade das infraestruturas escolares, com a construção das escolas da Ribeira Brava e do Porto Santo, só para dar 2 exemplos”.

Rui Manuel Gonçalves concluiu, defendendo também, que o Governo Regional prosseguirá, conforme for criando condições financeiras, com as medidas que vêm sendo tomadas nos diferentes setores da governação, mas sempre com condições para que as mesmas possam perdurar para o futuro.