Boletim da Dívida 02/2016

O Boletim da Dívida da Região Autónoma da Madeira (BDRAM) é uma publicação de periodicidade trimestral, cujo propósito assenta fundamentalmente na divulgação e análise da dívida global – financeira e não financeira – das entidades públicas regionais, inclusive do Sector Empresarial da Região Autónoma da Madeira. 04-04-2016 Finanças e da Administração Pública
Boletim da Dívida 02/2016

A edição que ora se apresenta reporta-se aos valores acumulados da dívida da RAM, desde 31 de dezembro de 2012 até ao final do ano de 2015, sendo que a mesma pretende ainda enquadrar, em moldes comparativos, informação harmonizada da realidade regional, nacional e europeia.

 

Em 31 de dezembro de 2015, a dívida global da RAM ascendia a 5.773 milhões de euros, o que representa uma diminuição de 863 milhões de euros face ao observado no final de 2012 e de 376 milhões de euros face aos valores de 31 de dezembro de 2014.

 

A dinâmica evidenciada no quarto trimestre de 2015 é marcada por uma diminuição face ao trimestre e ao ano anterior, em todos os subconjuntos incluídos na dívida global das entidades públicas da RAM, com exceção da dívida direta/financeira afeta à Administração Regional que aumentou cerca de 65 milhões de euros, o que reflete as utilizações de empréstimos, quer do financiamento contraído junto do Estado no âmbito do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro da RAM, quer dos empréstimos contraídos na ordem interna junto de várias instituições de crédito, para pagamento de dívida financeira e não financeira, incluindo de entidades do SERAM, que beneficiam destes empréstimos para reduzirem as suas responsabilidades perante terceiros. Considerando a dívida financeira do SERAM verificamos que no último trimestre a dívida financeira global decresceu cerca de 14 milhões de euros. 


No mesmo período, o decréscimo da dívida não financeira global ascendeu a 221 milhões de euros.

 

A diminuição do valor global da dívida reflete uma trajetória marcada por um processo de ajustamento contínuo e consistente, com vista à consolidação da sustentabilidade das finanças públicas da Região.