Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

“Não basta declarar e fazer proclamações”

Presidente do Governo defende que o esforço de décadas de regiões como a Madeira na salvaguarda do meio natural terrestre e marinho merece o apoio de meios e recursos financeiros da União Europeia 11-12-2019 Presidência
“Não basta declarar e fazer proclamações”

O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, recordou, quarta-feira, 11 de dezembro, por ocasião da sessão de apresentação da série da RTP intitulada ‘Mar, a Última Fronteira’, realizada pelo fotógrafo e cineasta subaquático Nuno Sá, que a Região Autónoma da Madeira foi pioneira no processo de conservação da natureza.

Pioneira no início da década de 70 do século XX, com a criação da reserva das Ilhas Selvagens, assim como, no então, processo de vanguarda, de criação do Parque Natural da Madeira.

“Hoje, podemos dizer que a Madeira – penso que isto é pouco conhecido – é das regiões do mundo com mais áreas protegidas”, afirmou, na sua intervenção, Miguel Albuquerque.

“65% do território terrestre tem algum tipo de proteção, bem como 75% do território marítimo até às 12 milhas”, continuou.

Na apresentação do projeto da RTP, desenvolvido em parceria com o Oceanário de Lisboa e a Fundação Oceano Azul, e que contou com o apoio do Governo Regional da Madeira para a realização de dois dos seis episódios da série, que dão a conhecer algumas das mais emblemáticas Áreas Marinhas Protegidas do país: Desertas, Garajau, Selvagens e Porto Santo, o Chefe do Governo falou da criação de uma nova área marítima de proteção de cetáceos, com mais de 6 mil quilómetros quadrados, bem como a proibição do recurso a armadilhas nas Desertas, por forma, neste último caso, a proteger as crias de lobo-marinho.

Miguel Albuquerque disse ainda aos presentes que a vasta plataforma continental portuguesa é uma das maiores riquezas do país, salientando que o seu potencial único tem de ser preservado e valorizado.

Nesse sentido, o líder do executivo entende que a sua salvaguarda, não só merece a continuação do esforço iniciado há décadas por regiões como a Madeira, mas também o apoio da própria União Europeia, através da dotação de meios financeiros e logísticos para o efeito.

“Nós, região autónoma, fazemos esse trabalho com todo o gosto, mas é preciso meios e recursos”, afiançou o Presidente do Governo.

“Não basta declarar e fazer proclamações”, concluiu.

Os dois episódios da série, que estreou a 20 de novembro, são transmitidos na RTP 1 nos dias 21 e 28 de dezembro.


Anexos

Descritores