Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

ARM já cedeu 660 toneladas de composto

Acessível a toda a população. 16-12-2020 Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas
ARM já cedeu 660 toneladas de composto

No início de 2019 a Águas e Resíduos da Madeira (ARM) retomou a operação da Instalação de Compostagem da Estação de Tratamento de Resíduos Sólios da Meia Serra, onde é produzido composto, uma espécie de adubo, a partir de resíduos verdes de jardins e parques recolhidos seletivamente, permitindo assim a obtenção de um produto 100% natural, de valor acrescentado à prática da agricultura e jardins e que retornará assim ao meio ambiente.

Desde a retoma da operação de compostagem, foram produzidas cerca de 750 toneladas, que a ARM cede gratuitamente à população. Até novembro deste ano já tinham sido cedidas 660 toneladas de composto.

Segundo explicou a secretária regional de Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas este é um produto de grande valor e que pode ser disponibilizado à população, bastando para isso dirigir-se à Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos (ETRS) da Meia Serra, à Estação de Transferência da Zona Leste (ETZL), no Porto Novo ou à Estação de transferência da Zona Oeste (ETZO), na Meia Légua, munido da respetiva embalagem.

“Este é um produto que constitui uma mais-valia em várias utilizações além de ser um claro exemplo de economia circular”, explicou Susana Prada adiantando que a qualidade do composto produzido permite a sua utilização em qualquer cultura agrícola, enriquece as plantas com nutrientes primários (por exemplo: azoto, fósforo, potássio) e um grande número de oligoelementos essenciais.

Outra das grandes mais-valias ao utilizar o composto são os benéficos para o meio ambiente, pois ao usar este produto natural há uma diminuição do uso de fertilizantes sintéticos, bem como da necessidade da sua importação.

Recorde-se que a decisão do Governo Regional em retomar a operação da Instalação de Compostagem para o tratamento dos resíduos verdes de jardins e parques recolhidos seletivamente surgiu como solução complementar para a necessidade de valorizar energeticamente os resíduos silvícolas (vulgo resíduos verdes) resultantes das ações de limpezas da floresta, com o principal objetivo de proteger a população  diminuindo a carga combustível e o risco de incêndio.

Importa ainda salientar que a retoma do processo de compostagem na Região permitirá aumentar as taxas de separação e recolha seletiva de resíduos para reutilização e reciclagem, contribuindo assim para o cumprimento das metas nacionais e europeias em matéria de gestão de resíduos.

No site da empresa pública (www.aguasdamadeira.pt) é possível encontrar toda a informação detalhada, contactos e moradas dos locais onde poderá adquirir o composto.

 


Anexos

Descritores