Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Secretário da Economia garante majoração nos apoios às empresas do Porto Santo

Cerimónia de validação dos contratos do SI Funcionamento 16-04-2021 Economia
Secretário da Economia garante majoração nos apoios às empresas do Porto Santo

O secretário regional da Economia garantiu, esta sexta-feira, que os apoios às empresas do Porto Santo vão continuar a ser majorados, quer nas linhas de apoio à tesouraria, quer no âmbito dos sistemas de incentivos, naquilo que é visto pelo governante como “uma ajuda suplementar” para fazer face à dupla insularidade.

 

Rui Barreto falava aos cerca de 28 empresários da ilha, presentes na sala polivalente do centro Cultural e de Congressos do Porto Santo, no âmbito da sétima cerimónia pública de assinatura dos termos de aceitação da decisão de financiamento dos contratos relativos ao sexto aviso do ‘SI Funcionamento 2020’.

 

“Temos tido o cuidado de, numa ilha como o Porto Santo, majorar em mais dez pontos percentuais, fazendo uma discriminação positiva às candidaturas, para que os empresários do Porto Santo tenham uma ajuda suplementar, que é justa, devido à ultraperiferia”, salientou.

 

Na oportunidade, o secretário regional informou que, no conjunto dos sistemas de incentivos já foram apoiadas 126 empresas do Porto Santo, no valor de 3,2 milhões de euros. Também nas linhas de apoio à tesouraria e manutenção dos postos de trabalho (Investe RAM e Apoiar-Madeira), foram registadas 117 operações de financiamento no montante de 1,5 milhões. Já no âmbito do IV aviso do ‘SI Funcionamento´ foram rececionadas 60 candidaturas, das quais, 28 já encontram aprovadas para pagamento, totalizando meio milhão de euros de despesa pública.

 

“O Governo tem feito um esforço enormíssimo do orçamento regional para empregar todos os meios a favor da economia e tem-no feito a expensas próprias. O financiamento que obtivemos, no ano passado, de 458 milhões, tem sido, não só para apoiar a economia, mas também apoiar socialmente os sobrecustos que a pandemia acarreta para a área da saúde”, recordou. 

 

Sobre o aligeirar das restrições às atividades económicas, Rui Barreto diz que o executivo “não quer fazer aberturas e depois recuos”, lembrado que esta semana voltaram às escolas mais 10.600 pessoas, entre alunos e comunidade educativa. Segundo o secretário regional, a avaliação das medidas deverá ser feitas nos 14 dias subsequentes. “Aí estaremos em condições de alargar o recolher obrigatório e com isso alargar também algumas atividades económicas”, disse.

 

“Estamos com um processo de vacinação a correr, que está a ser feito de uma forma muito exemplar, e que vai criar a proteção de grupo. Paralelamente, vamos fazer uma reabertura segura, para que se retome em segurança.”, reiterou.

 

“Quero agradecer a vossa resistência e dizer-vos que o Governo está a fazer tudo para compatibilizar a economia e com a saúde, para fazermos uma entrada segura e com isso já neste verão termos as atividades económicas num horário mais alargado”, concluiu.

 

No âmbito do Funcionamento já foram já aprovadas 1285 candidaturas, cerca de 60% do total de candidaturas entradas (1862) para uma verba de 22 milhões de despesa pública. Os apoios a fundo perdido destinam-se a cobrir despesas de tesouraria, tais como eletricidade, água, rendas e salários.

 

Além da presença habitual do presidente do IDE, a cerimónia desta manhã contou com a participação do presidente da Câmara Municipal do Porto Santo, Idalino Vasconcelos, da presidente da Assembleia Municipal e do adjunto da Vice-Presidência do Governo Regional, Roberto Silva.


Anexos

Descritores