Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Empresas recebem 42,9 milhões do orçamento regional

O objetivo do governo é executar ao máximo os fundos até ao final do ano, altura em que termina o Programa Madeira 14-20 20-01-2020 Economia
Empresas recebem 42,9 milhões do orçamento regional

Feitas as contas, entre financiamento regional e comparticipação comunitária, a secretaria de Economia vai derramar no tecido empresarial regional, em 2020, um montante global na ordem dos 42,9 milhões de euros.

A maior fatia destina-se à compensação dos custos pela ultraperificidade. São 11,5 milhões de euros que irão compensar as empresas pelos sobrecustos de funcionamento relacionados com a especificidades e desvantagem das regiões ultraperiféricas, como é o exemplo da distância em relação aos grandes centros de produção.

Rui Barreto, secretário regional da Economia, garante que “este orçamento possui a componente financeira necessária para executar ao máximo os fundos comunitário” e que “o governo vai agilizar os processos de modo a que os investimentos possam realizar-se no menor tempo possível”.

Entre os projetos com mais investimento está também o Valorizar 2020, com 7 milhões de euros para reforço da capacidade competitiva das empresas. Este projeto tem como objetivo consolidar o crescimento económico e acrescentar valor aos processos e aos bens e serviços prestados pelas empresas. Pretende também estimular a adoção de novos métodos de fabrico, logística e distribuição.

Para o secretário regional da Economia, “as empresas devem canalizar a maioria dos sistemas comunitários de incentivos. É preciso apoiar em processos de modernização e inovação, reforçando a sua competitividade, desburocratizando e ajustando as políticas às necessidades das empresas”.

Nesse sentido, Rui Barreto recorda que, ainda recentemente, foi assegurado o reforço da Linha de Crédito INVEST RAM, em 11 milhões de euros, destinada ao financiamento das Pequenas e Médias Empresas (PME’s).

Trata-se, conforme referiu o governante, de “continuar a apostar no crescimento e na diversificação da economia, para o robustecimento das empresas e para a criação de mais emprego e melhores salários. Não vamos apoiar apenas o investimento. Vamos, igualmente, apoiar o financiamento.”.

4,5 milhões disponíveis para o desenvolvimento tecnológico

Para fomentar a investigação, a inovação e o desenvolvimento tecnológico do tecido empresarial regional o governo vai investir, já este ano, 3,5 milhões no projeto PROCiência e 1 milhão de euros no INOVAR 2020. O primeiro visa reforçar dinamizar de projetos em áreas estratégicas de investigação, entre as empresas e as entidades que integram o Sistema Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação (SRDITI) e as instituições do Ensino Superior. O segundo irá promover projetos de inovação produtiva, de âmbito nacional ou internacional, que visem a introdução de novas atividades.

Aposta nas empresas com projetos fora do concelho do Funchal

 

Também no âmbito dos Sistemas de Incentivos (SI), pagos às empresas através do Instituto de Desenvolvimento Empresarial (IDE), os projetos EMPREENDER 2020 e INICIE +, representam um investimento global na ordem dos 5 milhões de euros.

No essencial, o projeto EMPREENDER 2020 aposta em instrumentos que pretendem suportar e alavancar o empreendedorismo, renovando a base económica regional através de estímulos   à inovação e às iniciativas empreendedoras capazes de proporcionar negócios criativos e inovadores, que permitam impulsionar a criação de emprego e mobilizar competências técnicas especializadas. Por outro lado, o INICIE + vai continuar a apostar nas empresas com projetos fora do concelho do Funchal, atribuindo uma majoração de 15% aos projetos localizados noutros concelhos, naquilo que é visto como sendo um incentivo ao desenvolvimento económico dos restantes concelhos, algo que é também, para o secretário regional da Economia, de “importância nuclear para este governo, ou seja, promover a descentralização e o desenvolvimento económico mais harmonioso na Região”.

 

 

Apoio à Internacionalização

 

Os empresários vão ainda contar com 2 milhões de euros para apoio à internacionalização da economia regional, através do projeto Internacionalizar 2020. O Executivo irá implementar um conjunto de políticas internas facilitadoras do processo de internacionalização. Para o efeito, será criado um sistema de incentivos específicos à internacionalização que se traduzirá em apoios de consultadoria, apoios nas despesas relacionadas com a promoção internacional, presença em certames internacionais, bem como no apoio à conceção de programas de marketing internacional.

Os restantes 10 milhões de euros que o IDE irá receber estão consignados à promoção da atividade económica e ao financiamento de instrumentos de engenharia financeira

Recorde-se que, no âmbito dos Sistemas de Incentivos (SI), desde 2016, foram aprovados pelo Instituto de Desenvolvimento Empresarial (IDE) 3.255 projetos. As candidaturas aprovadas representam um investimento total de 89 milhões de euros. Os apoios aprovados e concedidos ao abrigo dos sistemas de incentivos são transversais a todos os concelhos da Região.