Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

IDE tem orçamento de 130 milhões para 2021

Rui Barreto fez questão de registar o aumento “muito significativo” do orçamento da secretaria da Economia para 2021, na ordem do 95% 04-12-2020 Economia
IDE tem orçamento de 130 milhões para 2021

O secretário da Economia visitou esta manhã, 4 de dezembro, o Instituto de Desenvolvimento Empresarial. Uma oportunidade para dirigir um agradecimento “à brilhante equipa do IDE” pelo trabalho “inexcedível” e pela entrega “extraordinária” num ano marcado pela pandemia, que o obrigou o Governo Regional a abrir um conjunto de incentivos e linhas de apoio aos empresários, originado um aumento do volume de trabalho para a equipa da entidade gestora dos fundos, atualmente composta por 33 funcionários.

 

Na ocasião, o governante anunciou a intenção de recrutar funcionários para este organismo, de modo a que se consiga corresponder às “exigências e à velocidade” dos empresários, e de forma a encurtar os prazos de pagamento dos diversos sistemas de incentivos. “Estamos prontos para correspondermos às exigências. É nossa intenção contratarmos mais pessoas para reforçarmos esta equipa”, afirmou.

 

A visita ao IDE acontece no dia em que foi lançado o novo concurso do SI Funcionamento no montante de 10 milhões de euros a fundo perdido. Neste sistema de incentivos “as empresas poderão obter um montante não reembolsável, com uma taxa de comparticipação de 12,5% para as empresas da Madeira e 22,5% no Porto Santo”, uma majoração de dez pontos percentuais, salientou o secretário regional. As candidaturas devem ser diretamente realizadas entre os gabinetes de contabilidade e a plataforma disponibilizada pelo IDE, “num processo que será mais simples”, garante.

 

Uma microempresa, que emprega menos de dez pessoas e cujo volume de negócios anual não excede os dois milhões de euros, pode receber até 25.000€. Uma pequena empresa que emprega até 50 trabalhadores e cujo volume de negócios ou balanço total anual não excede 10 milhões de euros, pode receber até 35.000€. Uma média, que emprega menos de 250 trabalhadores e cujo volume de negócios não excede 50 milhões de euros ou que o balanço total anual não exceda 43 milhões de euros, vai ter acesso a um apoio até 40.000€. Já uma grande empresa poderá candidatar-se a um incentivo até 50.000€.

 

“Temos de apoiar diretamente para compensar a perda de factoração que as empresas têm registado por força desta situação que estamos a viver. O importante é cobrir os custos fixos para que os resultados operacionais sejam, pelos menos, positivos”, referiu.

 

Barreto assinalou positivamente o aumento de 95% do orçamento da secretaria de Economia para 2021, algo que, no seu entender, “naturalmente teria de acontecer por força das necessidades que as empresas têm sentido”.  

 

Por seu lado, o IDE disporá, no próximo ano, de um orçamento de 130 milhões de euros dirigidos aos programas e às linhas de apoio à economia e às empresas, garantido desta forma a manutenção dos postos de trabalho. Um orçamento muito superior, justificado pela “urgência” em apoiar o tecido económico regional. “Se há momento em que nós temos que acudir e apoiar, sem olhar a meios, é agora”, concluiu.


Anexos

Descritores