Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Professores e escolas têm papel fundamental na excelência

O presidente do Governo Regional destacou hoje o papel fundamental das escolas e dos professores na Educação de excelência que a Madeira tem. 14-06-2019 Presidência
Professores e escolas têm papel fundamental na excelência

Miguel Albuquerque destacou, hoje, a Educação de excelência que é ministrada na nossa Região, sublinhando o papel dos professores e das escolas (do melhor que o País tem) nessa excelência, dando a Escola da Torre como exemplo de boa escola e de excelentes professores.

O presidente do Governo Regional esteve nesta sexta-feira de manhã, na Escola Básica da Torre, em Câmara de Lobos, no festejo dos 25 anos do estabelecimento escolar.

«A senhora presidente do conselho executivo disse, no seu brilhante discurso, que aqui havia firmeza e afeto. E eu vou acrescentar um novo conceito, que é o exercício de memória, porque esta escola é hoje tributária da excelência da Educação que é ministrada na Região, mas nós temos de saber, sempre, de onde partimos, porque nós não podemos ter nenhuma perspetiva de futuro, consolidada, sem olharmos para o passado», defendeu.

O governante diz que temos de perceber de onde partimos. E explica porquê: «Porque o que conseguimos também na Educação foi extraordinário.  Em duas gerações conseguimos alargar o ensino obrigatório a todos os cidadãos nesta terra. Conseguimos, na verdade, criar uma Sociedade onde a igualdade de oportunidades não é palavra vã. Onde hoje, a nível do Ensino, temos dos melhores professores e das melhores escolas do País».

Recordando que o que diz baseia-se nos resultados escolares, Miguel Albuquerque considera que «temos de ter, todos nós, orgulho, naquilo que conseguimos». «O que conseguimos na nossa Sociedade, em duas gerações, foi, de facto, um sucesso!», adiantou.

«Os desafios, hoje, são diferentes. Porque as nossas escolas, hoje, têm uma responsabilidade acrescida na formação dos nossos jovens. Estamos a ministrar aos nossos jovens uma educação formal de excelência, mas temos também de dotar as escolas da capacidade de criação e de juízo crítico para enfrentar o mundo que temos pela frente», concluiu.

O presidente do Governo Regional recordou que «os valores cívicos são os que vão fazer a defesa das sociedades contra os populismos, os racismos, a xenofobia, a entropia, enfim contra todos os valores que representam o retrocesso». «Nós precisamos de manter uma sociedade aberta, cosmopolita, humanista, onde os valores da história, da cultura, da informação, da educação e do civismo são fundamentais», instou.

Mas, reforçou, «só o conseguiremos fazer se tivermos escolas como a escola da Torre, professores como os que aqui estão a ministrar o Ensino, no sentido de preparar os nossos jovens para a sociedade do futuro».

«Nós não temos que ter medo do futuro. Temos hoje uma sociedade desenvolvida, como nunca tivemos. Temos índices de conforto humano como nunca tivemos. Os desafios destes jovens são diferentes dos da nossa geração», concluiu.


Anexos

Descritores