Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Governo Regional responde de forma mais positiva ao associativismo juvenil

Jorge Carvalho enfatiza aumento de 65% nos apoios ao movimento associativo. 10-12-2020 Educação, Ciência e Tecnologia
Governo Regional responde de forma mais positiva ao associativismo juvenil

A Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional de Juventude, procedeu, quarta-feira (9 de dezembro), à assinatura dos contratos-programa com o movimento associativo escutista, guidista e juvenil.
 
Na cerimónia, que contou com a presença do secretário regional de Educação, Ciência e Tecnologia, Jorge Carvalho, realizada na agora denominada “Casa da Juventude”, sede da DRJ, foram subscritos apoios de cerca de 75 000€ a sete associações – Associação de Solidariedade Social Crescer Sem Risco, Associação Enfertuna - Tuna de Enfermagem da Madeira, Erasmus Student Network Madeira, Tuna Universitária da Madeira, Corpo Nacional de Escutas, Associação de Escoteiros de Portugal e Associação Guias de Portugal –, o que representa um acréscimo de 65% face ao valor global contratualizado em 2019.
 
Em agosto já haviam sido celebrados contratos-programa com outras associações, sendo que, das 40 associações juvenis registadas, 18 beneficiam de um apoio financeiro de 162 685,90€ para a implementação dos seus projetos.
Com este apoio aos planos de atividades, o Governo Regional coloca em evidência a preponderância que as políticas de juventude assumem na atual conjuntura, sobretudo, as promovidas pelas suas organizações representativas – associações juvenis e equiparadas, as quais envolvem mais de 13 500 associados, facto relevado por Jorge Carvalho.
 
«O acréscimo no valor de apoio significa que o Governo Regional responde de forma mais positiva aos projetos, às iniciativas e às atividades das associações, porque se queremos uma sociedade mais solidária e capaz, que valorize os diferentes conceitos – de democracia, de autonomia, do respeito pelo outro, etc. –, isso só acontecerá se tivermos um processo de formação dos jovens que responda a todos esses valores e princípios. E aí, particularmente na educação não formal, são as associações juvenis que desempenham um grande papel», sublinhou o secretário regional, enfatizando esta característica educativa dos movimentos juvenis. «São também uma escola naquilo que entendemos ser um processo extremamente importante na formação dos nossos jovens, enquanto primeira experiência de ação cívica num processo de valorização de participação democrática», concretizou o governante.