Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

“2022 trará novos desafios, nos quais o Governo Regional continuará a contar com as Casas do Povo”, destaca Rita Andrade

“Onde estamos e para onde vamos?”, foi a premissa para este encontro que reuniu a Secretaria Regional de Inclusão Social e Cidadania e as Casas do Povo da região. 09-12-2021 Inclusão Social e Cidadania
“2022 trará novos desafios, nos quais o Governo Regional continuará a contar com as Casas do Povo”, destaca Rita Andrade

Um evento que decorreu no Centro Cívico do Estreito de Câmara de Lobos e serviu de oportunidade para fazer um ponto de situação sobre os projetos desenvolvidos pelas Casas do Povo em parceria com o Governo Regional, ao longo do ano de 2021, e que incluem os fundos de apoio social criados em contexto de pandemia, para apoio à população em situação de maior vulnerabilidade social, bem como novos projetos e desafios para o ano de 2022.

 

Rita Andrade aproveitou ainda a ocasião para reafirmar que “é com enorme satisfação e honra que volto a assumir a tutela do desenvolvimento local, e assim, o apoio ao funcionamento das Casas do Povo da RAM. É um trabalho que já fizemos no passado e que voltaremos a fazer com todo o empenho e dedicação”. 

 

Neste sentido, a Secretária Regional enalteceu o papel destas instituições que têm vindo a assumir “um papel social cada vez mais relevante e de grande proximidade com a população”.

 

“O ano de 2022 trará novos desafios, nos quais o Governo Regional continuará a contar com as Casas do Povo, como verdadeiras parceiras na linha da frente do apoio à população que mais precisa, agora numa lógica diferente, de recuperação da atividade económica”, concluiu Rita Andrade.

No encontro, marcaram presença as Casas do Povo da RAM e associações que as representam, ACAPORAMA (Associação de Casas do Povo da Região Autónoma da Madeira) e ADRAMA (Associação de Desenvolvimento da Região Autónoma da Madeira), num momento que se pretende replicar ao longo do próximo ano, de forma a manter a proximidade entre estas instituições e o Governo Regional, identificando sempre, de forma dinâmica, novos projetos e formas de chegar à população.


Anexos

Descritores