Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

PRR - Duas candidaturas já aprovadas para apoio à população Sem Abrigo

Associação Protetora dos Pobres (Funchal) e Centro Social e Paroquial do Carmo (Câmara de Lobos) são as entidades beneficiárias deste projeto. 14-12-2022 Inclusão Social e Cidadania
PRR - Duas candidaturas já aprovadas para apoio à população Sem Abrigo

“Intervir + para agir melhor” é o nome do projeto financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), no valor de 389 419,04 €, que será operacionalizado pela Associação Protetora dos Pobres (APP). Reforço da ação de proximidade junto das pessoas em situação de sem abrigo é a grande aposta deste projeto.

 

Trata-se de uma candidatura na vertente de atuação à Pessoa em Situação de Sem-Abrigo (PSSA), aprovada pela Secretaria Regional de Inclusão Social e Cidadania e integrada na componente 3 – Respostas Sociais, direcionado para o concelho do Funchal.

 

Avança assim a segunda candidatura PRR que será, segundo a Secretária Regional, Rita Andrade, ao longo dos próximos 36 meses, “um investimento de particular relevância, como forma de melhor responder ao desafio da exclusão social” - destacando ainda o papel fundamental da Associação Protetora dos Pobres como instituição gestora do projeto - “Esta Instituição Particular de Solidariedade Social, tem desenvolvido, ao longo dos anos, inúmeras respostas sociais na luta contra a exclusão social, respostas diferenciadas e de qualidade sobretudo no apoio a pessoas em situação de sem abrigo”.

 

A intervenção deste projeto consiste num acompanhamento das pessoas em situação de sem abrigo, num modelo de gestão de caso e de intervenção intersectorial, apoiadas por equipas de rua. O financiamento através do Plano de Recuperação e Resiliência inclui ainda, a aquisição de uma viatura elétrica para apoio às atividades desenvolvidas no âmbito da intervenção.

 

O projeto abrange a contratação de 6 profissionais que vão estar distribuídos por 3 equipas de rua. Estas equipas irão realizar saídas diárias e regulares, de forma a fazer o acompanhamento social e sinalizar novas situações, organizadas por zonas específicas do concelho do Funchal, nomeadamente, entre as zonas altas e a baixa da cidade, criando uma relação de maior proximidade e confiança entre as pessoas em situação de sem abrigo e a instituição, dando a conhecer e promovendo a utilização dos serviços existentes na APP e impulsionando, assim, sempre que possível, a sua (re)integração na sociedade.

 

Primeira candidatura PRR já no terreno, em Câmara de Lobos, e em articulação com a Câmara Municipal local

 

Recorde-se que o DN tinha avançado com a primeira candidatura ao abrigo do PRR, dessa feita em Câmara de Lobos.

Após reuniões com o executivo camarário liderado por Pedro Coelho “foram identificadas as oportunidades de intervenção com cada utente, o caminho possível para a sua autonomia, capacitação e integração social”, explica Rita Andrade, observando ainda tratar-se de “um projeto, constituído por uma equipa de rua com 2 técnicos: um psicólogo e um assistente social que  pretende melhorar a intervenção social no concelho de Câmara de Lobos, lançando o desafio à comunidade dispersa de pessoas em situação de sem-abrigo, para uma nova oportunidade, uma possibilidade de reconstrução das sua vidas, um voltar a olhar para si e para a comunidade.

 

“Este projeto pretende construir, com cada utente, o caminho possível para a sua autonomia, capacitação e integração social  tendo como entidade gestora o Centro Social e Paroquial do Carmo".

 

“O Governo Regional tem como um dos seus objetivos estratégicos, na área da inclusão social, a proteção e reinserção das pessoas em situação de sem−abrigo. A intervenção social junto das pessoas em situação de sem abrigo tem de ser uma ação concertada e articulada entre os vários parceiros que atuam junto desta população. É neste sentido que contamos ainda com o Plano Regional para a Integração de Pessoas em Situação de Sem-Abrigo 2018-2022 (PRIPSSA), Esta estratégia é um instrumento que agrega respostas que visam dinamizar o combate à pobreza, integrando, neste âmbito, todos os Planos e Projetos Regionais”, conclui Rita Andrade.

 

Através do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) estão previstos investir 4 milhões de euros para medidas de intervenção junto das pessoas em situação de sem abrigo.


Anexos

Descritores