Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Recolha de lixo marinho mobiliza mais de 70 pessoas em ações de formação

11 embarcações de pesca devolvem lixo e ajudam a melhorar a qualidade do mar. Governo Regional vai entregar a "bandeira aderente" a cada uma delas. 12-01-2022 Mar e Pescas
Recolha de lixo marinho mobiliza mais de 70 pessoas em ações de formação

Mais de 70 pescadores, armadores e funcionários das lotas já participaram nas ações de formação e sensibilização para a recolha de lixo marinho e gestão do lixo produzido a bordo das embarcações, campanha da responsabilidade da secretaria regional de Mar e Pescas, através da direção regional de Pescas e direção regional do Mar, no âmbito do projeto OceanLit.

 

Desde o início da formação, em setembro de 2021, os pescadores já trouxeram para terra uma tonelada de lixo, incluindo redes, cabos e boias. Nas seis sessões de formação e sensibilização realizadas entre setembro de 2021 e a presente data, participaram 42 profissionais das pescas, pescadores e armadores, e 32 colaboradores da direção de serviços de Lotas e Entrepostos, num total de 74 pessoas.  

 

É a primeira vez que a secretaria regional de Mar e Pescas e as duas direções regionais, a do Mar e das Pescas, levam a cabo ações de formação/sensibilização para pescadores, mestres e armadores, com enfoque na recolha do lixo que é produzido a bordo das embarcações, mas também para aquele que é encontrado no mar.

 

Estas ações, ministradas pela própria diretora regional do Mar, Mafalda Freitas, por Pedro Delgado, responsável das Lotas e Entrepostos, e Maria João, da direção regional das Pescas, vão culminar com a entrega da “bandeira aderente” às embarcações que integrem o projeto OceanLit.

 

Aquando da apresentação do programa formativo, o secretário regional de Mar e Pescas, Teófilo Cunha, desejou que as ações de formação e sensibilização “atingissem toda a comunidade ligada às pescas”, lembrando que “a limpeza dos oceanos é um dever de cada um de nós, mas os pescadores, armadores e todos quantos dependem desta atividade têm de ser os primeiros a proteger os oceanos e os seus recursos”.

 

O número de embarcações que entregaram lixo marinho nos portos de pescas totalizam 11, duas das quais fizeram mais do que uma entrega. Todas estas embarcações estão em condições de receber a “bandeira aderente”, galardão com que o Governo Regional pretende homenagear os pescadores e armadores que se preocupam com a qualidade do mar da Madeira.

 

O OceanLit é um projeto com um orçamento global de 1 381 744,25 de euros comparticipado a 85% pelo Programa INTERREG MAC 2014-2020, do FEDER, que tem como principais objetivos gerar conhecimento sobre a problemática do lixo-marinho, bem como criar as soluções para favorecer a tomada de decisões para reduzir o lixo-marinho e o seu impacto.

 

 


Anexos

Descritores