Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Madeira quer continuar no mapa mundial do mergulho desportivo

Durante uma semana o Campeonato da Europa de Fotografia e Vídeo Subaquático e o Open da Madeira trouxe à Região a elite europeia da modalidade. 07-10-2022 Mar e Pescas
Madeira quer continuar no mapa mundial do mergulho desportivo

O Secretário Regional do Mar e Pescas, Teófilo Cunha, reforçou esta sexta-feira o empenho da Madeira em se manter no calendário internacional do mergulho desportivo. Uma atividade, explicou aos jornalistas, que gera receitas diretas anuais na ordem dos 500 mil euros.

 

“Começamos por organizar um Campeonato do Mundo [Porto Santo, em 2021], agora um Campeonato da Europa, e não temos qualquer dúvida sobre a projeção mediática e a visibilidade que a Madeira obtém com este tipo de eventos internacionais. Temos que ver no futuro quais são os próximos passos, mas uma coisa é certa: queremos manter-nos no mapa dos grandes eventos internacionais nesta modalidade”, disse o Secretário Regional, no final de dois mergulhos que serviram para assinalar o final do Campeonato da Europa de Fotografia e Vídeo Subaquático e o Open da Madeira.

 

O compromisso do Governo Regional, continuou Teófilo Cunha, tem sido materializado em ações concretas, como a recente proibição da pesca do mero e do peixe-cão. “O mero é um ex-libris dos mares da Madeira, e se em termos económicos ao nível da pesca tem um valor pouco significativo, cerca de três mil euros anuais, a sua importância para o mergulho recreativo é enorme”, enquadrou o governante, acrescentando que na base da proibição, que vigora desde 1 de agosto deste ano, estão igualmente preocupações ambientais. “Não sendo uma espécie em risco, está próximo do que consideramos ser uma ‘linha vermelha’, daí esta decisão de o proteger.”

 

Lembrando que a Região tem a maior área marinha com proteção total do Atlântico Norte, Teófilo Cunha sublinhou que, quando olha para o mar, as preocupações do Executivo Regional não são apenas económicas. São também ambientais. “Não podemos sonhar com um planeta saudável, sem contar com os oceanos. Esse tem sido e vai continuar a ser o nosso grande compromisso.”

 

O Secretário Regional efetuou dois mergulhos, um na zona do Cabo Girão e outro na Corveta Afonso Cerqueira. Dois ‘spots’ que integraram o Underwater Photography & Video European Championship e o Madeira Underwater Photo & Video Open. A competição, que terminou quinta-feira, começou no dia 3 de outubro e teve outros dois locais de mergulho: Baixa das Moreias, no Funchal e Reserva Natural Parcial do Garajau, em Santa Cruz. No total, participam nas três competições (Fotografia, Vídeo e Open) 84 mergulhadores, de 13 nacionalidades diferentes, numa prova organizada sob a égide da Confederação Mundial de Atividades Subaquáticas (CMAS), pela Federação Portuguesa de Atividades Subaquáticas e Associação de Natação da Madeira. O Governo Regional, através da Secretaria Regional do Mar e Pescas, apoiou o evento com 60 mil euros.


Anexos

Descritores