Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Lapas e caramujos com estudo científico inédito

Projectos de investigação em curso na secretaria regional de Mar e Pescas, envolvendo a Madeira, Canárias e Cabo Verde, avaliam potencial de captura da lagosta da Madeira 27-01-2020 Mar e Pescas
Lapas e caramujos com estudo científico inédito

O turismo e a gastronomia podem vir a beneficiar do conhecimento e da investigação que a Madeira, Canárias e Cabo Verde têm desenvolvido, no âmbito de projetos científicos direcionados para o crescimento da economia azul, com o propósito de trazer à mesa novos produtos e estudar limites de captura de outros que já são apreciados e conhecidos dos madeirenses, como as lapas e os caramujos.

“Estamos a investigar e a pesquisar mais-valias que possam acrescentar valor aos produtos da pesca”, explica o investigador José António González, da Universidade de Las Palmas, que trabalha com investigadores madeirenses nos projetos MACAROFOOD e MARISCOMAC.

 O primeiro prevê campanhas de prospeção dos recursos marinhos por pesqueiros da Madeira nos mares de Cabo Verde; o segundo o desenvolvimento de condições técnicas de base científica para a exploração sustentável e responsável de mariscos e peixes nas águas da Madeira, Canárias e Cabo Verde, como forma de valorizar a gastronomia de cada uma das regiões parceiras através da restauração e do turismo.

 Pesquisar a lagosta na Madeira e o peixe-espada em Cabo Verde é um dos pilares da investigação. Se os estudos concluírem que há potencial em Cabo Verde para a captura do peixe-espada, o passo seguinte poderá ser a assinatura de um protocolo que permita a deslocação de pescadores madeirenses para aquele arquipélago.

Mafalda Freitas é a investigadora madeirense que tem trabalhado nestes projetos. “Este ano vamos fazer uma pesquisa inovadora, com réplicas de armadilhas que são utlizadas em Cabo Verde, para tentar encontrar lagosta da Madeira”, desvenda.

O contributo da economia azul no crescimento da economia regional passa também pela ciência e investigação. Os técnicos da Direção dos Serviços de Investigação da Lota desenvolveram um estudo biológico inédito sobre as lapas e os caramujos. “Temos já um acervo importante com informação biológica e ecológica sobre os caramujos, que nos permite antever a proposta normativa adequada, como já existe para as lapas, relativamente ao defeso, tamanho e limite de captura, como forma de protegermos o recurso”, explica João Delgado, responsável daquele departamento da secretaria regional de Mar e Pescas.

 

 

 

 

 


Anexos

Descritores