Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Madeira tem um desempenho melhor que qualquer destino português

A Madeira tem registado um desempenho melhor do que qualquer outro destino português, graças ao trabalho das entidades regionais e dos empresários do setor para a restauração da confiança. Quem o disse ontem foi o Secretário Regional de Turismo e Cultura. 19-12-2020 Turismo e Cultura
Madeira tem um desempenho melhor que qualquer destino português

Eduardo Jesus falava na cerimónia de entrega de certificado Madeira Safe to Discover à agência de viagens e DMC ‘Travel Europe’. Uma oportunidade para referir que “apesar de todos os destinos estarem a perder turistas, a Madeira está a perder menos, uma realidade que o governante nunca pensou que pudesse ser motivo de alegria”. Isso porque, como a perda tem sido inferior ao que se passa noutros destinos do país e do mundo, significa que “a Madeira regista um desempenho muito melhor do que qualquer outro destino português. Continuamos a perder, como todos, mas estamos a perder menos e esse perder menos significa alguma coisa”, reforçou.

Mais referiu que, segundo um estudo da IATA, verificou-se uma quebra de 77% nas viagens a nível internacional. No caso de Portugal, a Madeira está a perder 63% enquanto que a média nacional, focando os aeroportos de Lisboa, a quebra situa-se acima dos 80%.

O Secretário Regional Eduardo Jesus elogiou ainda a resiliência dos empresários do setor, que têm contribuído para transmitir a mensagem da segurança do destino, que continua a ser de confiança. “É importante quando encontramos no tecido empresarial turístico, a coincidência do ponto de vista, que os empresários percebem e querem provar que são seguros”, disse.

A finalizar, o governante assegurou que, da parte do Governo, tudo está a ser feito para a recuperação turística e apoio ao setor. Esta construção da confiança e a mensagem permanente do que estamos a fazer parece-nos que fizeram o seu feito. Não é o suficiente, mas não depende de nós. O que está ao nosso alcance está a ser feito, e não seria sem o contributo dos agentes e operadores, de estarem a contribuir de uma forma muito objetiva para a construção deste novo posicionamento de segurança que nós precisamos”.


Anexos

Descritores