Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

“As instituições da Economia Social e Solidária têm vindo a assumir uma relevância cada vez maior”, afirma Rita Andrade

Rita Andrade esteve presente na abertura de mais um encontro das instituições da economia social e solidária da RAM, organizado pela Associação de Investigação e Promoção da Economia Social (AIPES), na sua sede em Santo Amaro. 04-08-2022 Inclusão Social e Cidadania
“As instituições da Economia Social e Solidária têm vindo a assumir uma relevância cada vez maior”, afirma Rita Andrade

Rita Andrade esteve presente na abertura de mais um encontro das instituições da economia social e solidária da RAM, organizado pela Associação de Investigação e Promoção da Economia Social (AIPES), na sua sede em Santo Amaro.

 

Este é já o 8.º encontro semelhante, promovido pela AIPES, com o objetivo de debater o papel das instituições do terceiro setor da nossa região, bem como as suas responsabilidades e principais desafios que enfrentam, potenciando sinergias e criando redes entre elas.

 

Estiveram presentes 15 instituições, que puderam trocar ideias e debater o importante papel do terceiro setor na nossa sociedade. Um papel também reconhecido e valorizado pelo Governo Regional, como fez questão de referir Rita Andrade: “As Instituições da Economia Social têm vindo a assumir um relevância cada vez maior, como verdadeiras parceiras do Governo Regional. Contamos com estas instituições para complementar o nosso trabalho, prestando as respostas mais adequadas à população, a cada momento”.

 

De acordo com um levantamento feito pela AIPES em 2018, existiam, na RAM, 1170 entidades da economia social e solidária. O objetivo desta associação, com a realização destes encontros, é chegar ao maior número possível destas instituições, apresentando o seu projeto de mapeamento, com georreferenciação, de todas as organizações da economia social e solidária da RAM, através de uma plataforma colaborativa, acessível a todos. A AIPES tem levado estes encontros a outros concelhos, como foi o caso de Câmara de Lobos, Machico e Santa Cruz, estando ainda previstas mais deslocações a outros concelhos da região, até final deste ano.

 

“É importante criar estas sinergias, conhecer e mapear a realidade das instituições da nossa Região  e potenciar novos projetos e respostas sociais que, só em conjunto, se conseguem criar. Um mais um, muitas vezes, não são dois, são muito mais, e o efeito multiplicador das parcerias entre instituições é notável”, realçou a Secretária Regional. 

 

Marisa Nóbrega e Fátima Belo, presidente e vice presidente da AIPES, abordaram a importância da economia social ao longo dos tempos e da sustentabilidade destas organizações a vários níveis, incluindo o financeiro. Foram também apresentados os projetos da Rede para a Economia Social e Solidária (RESS) e Mapeamento da Economia Social e Solidária da RAM (MAPESS), bem como as vantagens da adesão aos mesmos.


Anexos

Descritores