Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Porto do Funchal «precisa de mais espaço se quisermos crescer» 

Presidente do Governo considera a ampliação do molhe da Pontinha uma obra fundamental para o turismo de cruzeiros e para economia regional, mas também para a proteção da frente mar da cidade. Há um estudo preliminar em curso para melhor definir o projeto e estimar custos.  23-11-2022 Presidência
Porto do Funchal «precisa de mais espaço se quisermos crescer» 

No dia em que foi notícia a eleição da Madeira como melhor destino de cruzeiros da Europa, o Presidente do Governo Regional foi questionado pelos jornalistas, à margem da inauguração da residência artística do Ilhéu de Câmara de Lobos, sobre a obra de ampliação do molhe da Pontinha. 

Miguel Albuquerque começou por vincar que o porto de cruzeiros do Funchal é uma infraestrutura ao serviço do turismo e da economia madeirense que precisa de mais espaço se quisermos crescer, até porque os navios são cada vez maiores, pelo que «é uma obra fundamental para o futuro da Madeira». 

Fundamental, não só para o crescimento do setor dos cruzeiros na Região, mas também de outra ordem, como explicou o governante.   

«É uma obra que do nosso ponto de vista leva em linha de conta dois fatores fundamentais: a segurança da frente mar da cidade e a possibilidade de utilizarmos um conjunto de infraestruturas, que não estão a ser utilizadas e que já estão feitas, designadamente o cais norte. Por que não se consegue assegurar com um ou dois anos de antecedência a acostagem de um navio naquela infraestrutura em zona aberta, porque não se sabe como estará o mar.» 

O Chefe do Governo recordou o facto de a Região ter procurado inserir a ampliação do molhe da Pontinha no PRR, o que não foi considerado pela República. 

Não obstante, está em curso por iniciativa do Governo Regional um estudo preliminar, no sentido de definir o tipo de projeto – em que vai consistir a ampliação e a estimativa de custo –. 

«Depois do estudo preliminar estar concluído poderemos considerar o financiamento», indicou Miguel Albuquerque. 

«Quando houver condições vamos avançar com esse aumento», concluiu. 


Anexos

Descritores