Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Albuquerque prevê mais um ano muito bom para o Turismo e elogia investimento da família Sardinha em alojamento local

Miguel Albuquerque diz que tudo aponta para que janeiro e fevereiro deste ano ultrapassem, na Madeira, os meses homólogos de 2022 como os melhores de sempre ao nível de resultados no Turismo. Tanto em número de turistas como ao nível das taxas de ocupação turística. 23-01-2023 Presidência
Albuquerque prevê mais um ano muito bom para o Turismo e elogia investimento da família Sardinha em alojamento local

O presidente do Governo Regional falava, na tarde desta segunda-feira, em Machico, na inauguração de uma unidade de alojamento local, de nome “Machim d’Arfet”, um investimento da família Sardinha (Paulo Sardinha, Iolanda Fernandes e Cláudia Raquel Sardinha), na ordem dos 700 mil euros.

O líder madeirense fez questão de agradecer o investimento feito pela família, sublinhando que «todo o investimento que se faz na Região é bem-vindo, sobretudo quando de qualidade e numa indústria que tem crescido exponencialmente».

À família, o governante pediu que não baixassem os preços por quarto do empreendimento, «porque isto tem uma qualidade sensacional». «Desejo a todos as maiores felicidades, em particular à família, e mais uma vez agradeço o vosso sentido de risco e a disponibilidade para investirem na vossa terra», acrescentou.

Miguel Albuquerque colocou ainda a tónica no facto de, neste momento, existirem «34 companhias aéreas a operar para a Madeira, para 90 rotas», tendo-se fechado 2022 «com um recorde no número de turistas, de dormidas e rendimento por quarto».

«O Rev-Par é aquilo a que nós temos de estar atentos. Não basta ter o número de quartos, é fundamental que os preços vão subindo e vão se adequando à qualidade que é oferecida, no sentido de esta ser uma indústria que continue a trazer retorno e emprego qualificado», defendeu.

O líder madeirense anunciou ainda que perspetivas para este ano, ao contrário do que se perspetivava – «e eu próprio tinha dúvidas, devido à guerra na Ucrânia e com constrangimentos ao nível da energia e ao surto inflacionário (que vai baixar este ano» – são muito boas.


Anexos

Descritores