Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

“António Costa veio à colónia”

A frase proferida hoje pelo Presidente do Governo Regional ilustra a falta de compromisso e o desinteresse do Governo da República em relação a matérias essenciais ao quotidiano dos madeirenses e dos porto-santenses, nomeadamente as tarifas da TAP, a revisão do subsídio social de mobilidade e taxa de juros imposta República à Região 19-05-2019 Presidência
“António Costa veio à colónia” O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, afirmou na tarde de domingo, 19 de maio, por ocasião da XXII Festa da Cebola, no Caniço, que lidera um executivo que trabalha em prol de toda a Região Autónoma da Madeira e da sua população, lembrando, contudo, que importa os madeirenses e os porto-santenses perceberem quem não está connosco.

E, nesse sentido, o governante referiu-se à visita à Região, em tempo de campanha, de António Costa, referindo que, do líder nacional do Partido Socialista, esperava ter ouvido que este iria, finalmente, colocar a TAP na ordem ou ainda que explicasse qual o motivo para que, ao fim de mais de três anos, o Governo da República continue sem rever o subsídio social de mobilidade ou persista na aplicação de uma taxa de juro à Região acima daquela a que o Estado Português se financia, comportando-se como, assim, como um agiota, colhendo, por essa via, dividendos dos madeirenses e porto-santenses na ordem dos 12 milhões de euros ano.

“Todos nós estamos na primeira linha da defesa da nossa terra”, indicou Miguel Albuquerque.

“Defesa da Autonomia Política, defesa de um legado que proporcionou grande desenvolvimento e defesa dos nossos direitos, liberdades e garantias, expressando politicamente o que desejamos para o futuro”, avançou.