Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Pandemia retirou oito milhões de euros ao setor das pescas

O Governo Regional, através da secretaria regional de Mar e Pescas, antevendo um início de 2021 ainda em crise pandémica, prolongou até 31 de março a isenção do pagamento de taxas e fornecimento de gelo nas lotas, um apoio aos pescadores e armadores na ordem dos 650 mil euros. 14-01-2021 Mar e Pescas
Pandemia retirou oito milhões de euros ao setor das pescas

O impacto da pandemia no setor das pescas indica uma redução de oito milhões de euros no valor do pescado descarregado nas lotas da Região e uma diminuição de 40% nas capturas das principais espécies.

 

Os dados agora tornados públicos pela secretaria regional de Mar e Pescas comparam resultados entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2019 com o mesmo período homólogo de 2020, refere a edição do JM desta quinta-feira.

 

No mapa estatístico surgem as várias espécies de pescado descarregado, três das quais apresentam subidas e as restantes descidas. O atum albacora subiu, de 2019 para 2020, 809,03%, das 2 324 toneladas para as 21 129; o atum rabilho 242,43%, das 32 447 toneladas para as 111 110 toneladas; o peixe agulha das 6 419 toneladas para as 7 525.

 

Em sentido inverso, com descidas significativas , está o atum patudo (menos 50,83%), o atum voador (menos 62,58%), o gaiado (menos 62,27%), a cavala (menos 60,42%), o chicharro (menos 36,61%) e, finalmente, o peixe-espada, com uma descida residual de 4,94%, um valor que coloca esta espécie, em tempos de pandemia, com valores de captura muito semelhantes aos de antes da crise sanitária, com 2 135 517 toneladas, em 2020, e 2 246 588 toneladas, em 2019.

 

Em termos de valor comercial, o ano de 2019, com uma faturação global, na primeira venda, de 22 133 161 milhões de euros, foi o melhor de sempre, uma subida travada pela crise pandémica que reduziu para 14 517 918 milhões de euros o valor total das capturas em 2020, representando uma quebra na ordem dos 8 milhões de euros.

 

Antevendo que os primeiros meses de 2020 não seriam ainda tempos de recuperação do setor das pecas, o secretário regional de Mar e Pescas, Teófilo Cunha, durante a discussão e aprovação do Plano e Orçamento para 2021, na Assembleia Legislativa da Madeira, em dezembro, abriu a porta a novos apoios de compensação aos pescadores, armadores e apanhadores que não cessem a atividade e assinou a portaria que prolonga até 31 de março a isenção do pagamento de taxas de conservação e congelação e fornecimento de gelo nas lotas.

 

Recorde-se que o apoio financeiro extraordinário aos pescadores, armadores e apanhadores foi de 1 milhão de euros em 2020, a que acresce mais 650 mil euros de isenções de taxas nas lotas.

 


Anexos

Descritores