Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Três candidatos com propostas para fiscalização e coordenação do Hospital Central da Madeira

O Governo Regional entra, assim, na reta final para a contratação dos serviços de fiscalização e coordenação da obra de construção do Hospital Central da Madeira, que incluem a Direção de Fiscalização e da Coordenação de Segurança da obra e serão subdivididos em três fases: Preparação da obra; Monitorização e controlo da obra e Gestão da garantia da obra. 23-02-2021 Equipamentos e Infraestruturas
Três candidatos com propostas para fiscalização e coordenação do Hospital Central da Madeira

O prazo dado aos candidatos qualificados na anterior fase do procedimento concursal, para a apresentação de propostas ao concurso limitado por prévia qualificação, aberto pelo Governo Regional da Madeira, para a prestação de serviços de fiscalização e coordenação da obra do Hospital Central da Madeira, terminou dia 18 de fevereiro de 2020.

 

Os três candidatos convidados apresentaram as suas propostas, cujos valores variam entre os 4 500 000,01 euros e os 4 725 071,55 euros. Recorde-se que o Governo Regional havia estabelecido, como valor máximo que se disponha a pagar pela execução do contrato, o montante de 5 milhões de euros (6,1 milhões de euros, incluindo o IVA à taxa legal em vigor).


Conforme já anteriormente anunciado publicamente, foram convidadas a apresentar propostas os seguintes agrupamentos e empresa:

TPF – Consultores de Engenharia e Arquitetura, S.A./Consulgal, Consultores de Engenharia e Gestão, S.A./NRV-Consultores de Engenharia S.A.

Vítor Hugo – Coordenação e Gestão de Projetos, S.A.

ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade/Prospectiva – Projectos, Serviços e Estudos, S.A./Sondeos, Estructuras Y Geotecnia, S.L.

 

O Júri do procedimento iniciou, a 19 de fevereiro de 2021, a análise das propostas submetidas à concorrência, com a finalidade de apresentar, ao Governo Regional, uma proposta de ordenação das mesmas, tendo por base o critério de adjudicação previamente definido. A prestação de serviços será adjudicada ao agrupamento ou empresa com a proposta economicamente mais vantajosa para o Governo Regional, resultante da ponderação de fatores e subfactores relacionados com o preço e valia técnica das propostas.

 

O Governo Regional entra, assim, na reta final para a contratação dos serviços de fiscalização e coordenação da obra de construção do Hospital Central da Madeira, que incluem a Direção de Fiscalização e da Coordenação de Segurança da obra e serão subdivididos em três fases: Preparação da obra; Monitorização e controlo da obra e Gestão da garantia da obra.

 

Tendo em conta a dimensão e a complexidade técnica da obra de construção do Hospital Central da Madeira, que a tornam singular no panorama regional, e até mesmo nacional, é imperativo que a sua execução seja acompanhada por empresas de especial capacidade técnica e financeira, com experiência já adquirida em empreendimentos de grande complexidade de conceção e com experiência em obras hospitalares, incluindo as valências de cirurgia geral/bloco operatório com unidade de cuidados pós-anestésicos, consultas externas, esterilização, farmácia, hospital de dia, imagiologia, internamento de ginecologia/obstetrícia, internamento geral, internamento pediátrico, laboratórios, medicina física e reabilitação, medicina nuclear, psiquiatria, unidade de cuidados intensivos geral, unidade de cuidados intensivos neonatais, unidade de cuidados intensivos pediátricos e urgências.

 

“É com muito agrado que vemos este projeto caminhar com passos sólidos, sendo esta mais uma etapa importante para colocar no terreno o Hospital Central da Madeira, uma obra que será, com certeza, única no panorama regional e de excelência para uma área tão importante como a saúde”, salienta o Secretário Regional de Equipamentos e Infraestruturas, Pedro Fino.


Anexos

Descritores