Porto Santo acolhe, esta semana, Residência artística e Projeto “História e Criatividade”

Ações surgem integradas nas Comemorações alusivas aos 600 Anos do Descobrimento das Ilhas 16-04-2018 Secretaria Regional do Turismo e Cultura
Porto Santo acolhe, esta semana, Residência artística e Projeto “História e Criatividade”

As Comemorações alusivas aos 600 Anos do Descobrimento das Ilhas marcam a agenda desta semana, no Porto Santo, com duas ações: a primeira, que arranca já hoje, dia 16 de abril e decorre até ao dia 18, diz respeito à realização de uma Residência artística, no âmbito da criação de uma peça de Dança contemporânea que, designada por “Happy Island”, resulta de uma coprodução internacional dos madeirenses Dançando com a Diferença e a reconhecida Companhia La Ribot.

Este espetáculo – que contribui para a promoção da inclusão, através da arte – tem a sua ante-estreia prevista, para breve, na Ilha da Madeira, tendo sido inspirado nas paisagens e belezas naturais do arquipélago. Acresce dizer que, depois de ser exibido na Região, esta criação artística deverá percorrer várias cidades, em todo o mundo, levando o nome da Madeira mais longe.

A segunda ação intitula-se “História e Criatividade”, decorre entre os dias 17,18 e 19 de abril e destina-se aos alunos de pré-escolar e 1º ciclo do Porto Santo, concretamente às Escolas EB1 + PE do Campo de Baixo, Externato Nossa Senhora da Conceição e EB1 + PE do Porto Santo, tendo por objetivo incentivar a criação artística através da Banda Desenhada, interligando a história e a criatividade e sensibilizando o público escolar para a rica história do arquipélago.

Nesta primeira fase do projeto, as atividades consistem numa visita e apresentação de um autor de Banda Desenhada às Escolas Básicas, com o propósito de sensibilizar o público destas faixas etárias para a leitura e para a celebração dos 600 anos. 

Todos os materiais utilizam excertos de textos sobre a História da Madeira, assim como citações de autores de referência nesta área, nomeadamente:

- “As Saudades da Terra, Livro II”, obra de Gaspar Frutuoso na sua edição de 1873 com anotações de Álvaro Rodrigues de Azevedo;

- “Descobrimento da Ilha da Madeira”, do Cónego Jerónimo Dias Leite, na edição de 2016 pela Imprensa Académica, com comentários de Cristina Trindade, Raimundo Quintal e Rui Carita;

- “História da Madeira, Volume I, Século XV – Matriz da Expansão Portuguesa”, de Rui Carita;

- Textos do blogue “Passos na Calçada” de Nelson Veríssimo.

No seguimento destas ações, serão providenciados outros elementos pedagógicos para possibilitar que os conteúdos sejam trabalhados pelos docentes, ao longo do ano letivo, de modo a promover novos momentos de aprendizagem e estudo acerca dos elementos da história da ilha do Porto Santo. Está também prevista a pintura de um mural, pelos alunos.

«Celebrar os 600 anos do Descobrimento das nossas Ilhas é envolver toda a sociedade e é, sobretudo, incentivar a sua participação ativa na concretização e desenvolvimento das ações que se encontram previstas no programa», sublinha a Secretária Regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, referindo-se a estas iniciativas, enquanto parte integrante de um plano de ação que, «só nesta ilha, se aproxima, até ao fim do ano, das 30 realizações e cuja transversalidade se destaca, quer do ponto de vista das áreas abrangidas, quer do público a que se destinam».

Recorde-se que, durante este ano, as Comemorações alusivas aos 600 Anos irão envolver a requalificação do património, a realização de eventos, exposições, congressos e espetáculos, projetos na comunidade, encomendas artísticas e, naturalmente, a edição de novas publicações, especialmente focadas na Ilha do Porto Santo.


Anexos

Descritores