Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.

Protocolo de Cooperação com a Direção Regional de Agricultura da Região Autónoma dos Açores

Protocolo visa aprofundar e potenciar o conhecimento recíproco e a cooperação técnica e científica. 09-11-2017 Direção Regional de Agricultura
Protocolo de Cooperação com a Direção Regional de Agricultura da Região Autónoma dos Açores No passado mês de setembro, foi assinado um Protocolo de Cooperação entre a Direção Regional de Agricultura da Região Autónoma dos Açores e a Secretaria Regional de Agricultura e Pescas, através da Direção Regional de Agricultura, no âmbito do Laboratório Regional de Sanidade Vegetal – LRSV (Açores) e do Laboratório de Qualidade Agrícola – LQA (Madeira).

A RAA e a RAM são Regiões com larga tradição na área da agricultura e ambas pretendem potenciar e valorizar o setor agrícola, tendo por base a melhoria contínua da sua qualidade.

O Laboratório Regional de Sanidade Vegetal da Direção de Serviços de Agricultura/Direção Regional de Agricultura da RAA e o Laboratório de Qualidade Agrícola da Direção de Serviços dos Laboratórios e Investigação Agroalimentar/Direção Regional de Agricultura da RAM, desempenham funções semelhantes no que respeita a estudos e realização de análises fitossanitárias, nomeadamente nas áreas da Virologia, Bacteriologia, Micologia, Entomologia e Nematologia.

Assim, é de todo o interesse que os dois Laboratórios (LRSV e LQA) colaborem em todas estas áreas, sempre que for necessário, com o objetivo de aprofundar e potenciar o conhecimento recíproco e a cooperação técnica e científica entre os mesmos e consequentemente entre as duas Regiões Autónomas, nas áreas referidas.

Este protocolo tem como objeto:

- Fomentar a cooperação técnica e científica entre os Laboratórios já referidos;

- Aproveitar as potencialidades humanas, técnicas e científicas dos dois Laboratórios para o desenvolvimento de ações que possam interessar a ambas as instituições;

- Estimular o intercâmbio entre técnicos com vista à sua valorização científica, tecnológica e profissional e;

- Contribuir para uma maior aproximação entres estes Laboratórios das duas Regiões Autónomas.

Haverá uma troca de meios técnicos e humanos e de conhecimentos, com a realização de projetos técnico/científicos e permuta de metodologias de análise; cedência de material biológico de estudo dentro do âmbito dos mesmos, sempre que os Laboratórios considerarem conveniente. A assinatura deste Protocolo de Cooperação é uma mais-valia para os dois Laboratórios, levando à sua valorização e à dos técnicos que os integram.


Anexos

Descritores