Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

A Secretaria Regional de Turismo e Cultura apoia com 127 mil euros as obras de recuperação e conservação da Igreja Matriz de São Jorge

Foi já celebrado, entre a Secretaria Regional de Turismo e Cultura e a Fábrica da Igreja Paroquial de São Jorge, o contrato-programa que visa apoiar as obras de recuperação e conservação da Igreja Matriz de São Jorge. 17-10-2022 Direção Regional da Cultura
A Secretaria Regional de Turismo e Cultura apoia com 127 mil euros as obras de recuperação e conservação da Igreja Matriz de São Jorge

Foi já celebrado, entre a Secretaria Regional de Turismo e Cultura e a Fábrica da Igreja Paroquial de São Jorge, o contrato-programa que visa apoiar as obras de recuperação e conservação da Igreja Matriz de São Jorge.

O contrato-programa, no valor de 127 mil euros que serão atribuídos até 2021, prevê um conjunto de obras, nomeadamente a recuperação das coberturas dos edifícios anexos à igreja, a recuperação e pintura de tapa-sóis, janelas e portas de madeira, o tratamento e pintura de portões, gradeamentos e guardas exteriores metálicas, a picagem de reboco existente, a lavagem das paredes com jato de areia a baixa pressão, aplicação de novo reboco à base de cal, a preparação para pintura e pintura com tinta à base de silicatos, a pintura de muretes exteriores e a execução da replica de um pilarete e de esferas em falta na torre.

Com a formalização do contrato-programa, a intervenção desejada já poderá avançar, como afirmou na ocasião o pároco Ronald Vieira.

Recorde-se que, fundada nos finais do segundo quartel do século XVIII, a igreja de São Jorge, pela sua talha barroca, integra o núcleo de arquitetura religiosa barroca da ilha da Madeira e, bem assim, considerada uma das mais belas igrejas rurais da ilha da Madeira. Esta igreja paroquial possui uma fachada principal de fenestração pouco comum dentro da tipologia regional, já que o portal é encimado por três janelas de avental e no tímpano surge uma outra janela ladeada de pilastras que suportam cornija reta.

Paralelamente ao apoio financeiro às obras, está a decorrer o processo de classificação daquela Igreja como imóvel de interesse público, como adiantou o Secretário Regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus. Estas duas situações são fundamentais para a conservação e valorização da Igreja Matriz de São Jorge, disse o governante, tendo em conta que “o património cultural é um bem coletivo estratégico de desenvolvimento económico e social sustentado e como tal é necessária a materialização de um conjuntode políticas de diferente origem e natureza, desenhadas de forma complementar, capazes de capitalizar todas as valências deste recurso endógeno com vista ao seu máximo usufruto e valorização”.