Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.

Revista Diversidades N.º 53

Revista Diversidades N.º 53 13-03-2019 Direção Regional de Educação
Revista Diversidades N.º 53
Nos dias de hoje, as escolas são desafiadas a desenvolverem a sua ação olhando, com particular atenção, para os meios e contextos em que estão inseridas, espreitando as oportunidades que uma multiplicidade de entidades e instituições (públicas e privadas) podem oferecer na tarefa da educação dos nossos alunos preparando-os para o futuro. O perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória, as aprendizagens essenciais, recentemente apresentadas, constituem-se como uma matriz para as decisões e atores educativos. É um perfil de cariz humanista, que respeita o caráter inclusivo e multifacetado da escola, no qual a educação para todos obriga à consideração da diversidade. Todos os alunos têm um direito fundamental à sua plena inclusão em ambiente escolar, para que todos possam conviver com a diferença e aprender a valorizá-la. É o grande desafio da escola e da sociedade do século XXI.

Assim, a educação inclusiva assume um espaço central no debate acerca da sociedade contemporânea e do papel da escola na superação das lógicas da exclusão, da discriminação, da injustiça, de acordo com as orientações nacionais e internacionais.
Nesta linha, continuamos a assumir, com clareza, a continuidade do reforço da inclusão no sistema de ensino, a necessidade de “proporcionar condições para o desenvolvimento e implementação de uma nova conceção organizacional da Escola, tornando-a aliciante, inclusiva, motivadora e mais autónoma”, fomentando parcerias para a “realização de propostas formativas especializadas visando o melhor desenvolvimento das competências e saberes desejados”, bem como desenvolvendo medidas para “combater o abandono e promover o rendimento escolar”.
É neste contexto que este número da Revista Diversidades se enquadra, num contributo para revisitar os princípios paradigmáticos da inclusão, para reequacionar os procedimentos e as práticas pedagógicas das escolas à luz da educação inclusiva, para perspetivar realidades que têm conseguido esboçar caminhos que se constituem como “antídoto” para a ameaçada condição daqueles que são “diferentes” e “especiais” e que só uma intervenção multifacetada, ajustada, competente protagonizada por diferentes pessoas e profissionais é capaz de concretizar.
“Para além dos caminhos, a oportunidade”. Esta bem poderia ser uma expressão extraordinária que reflete o acolhimento e a valorização da diversidade dos alunos que tem em atenção todas as condições (obstáculos e dificuldades) que podem dar origem à exclusão. O foco é, então, colocado na identificação e na eliminação de barreiras à presença, à participação e à aprendizagem, devendo-se considerar os estilos de aprendizagem, as metodologias e as estratégias de ensino, essenciais para a realização do processo de construção de uma identidade pessoal e de uma cidadania ativa.
“A inclusão na Diversidades” quer, assim, ser mais um importante contributo, na linha do imprescindível trabalho em rede e em parceria, que assume a colaboração, a inovação, a inclusão e a melhoria contínua, entre outros, como valores que norteiam o exercício das responsabilidades de todos os elementos da comunidade, na senda da qualidade das aprendizagens, do sucesso escolar e da elevação da qualificação pessoal, social e profissional de todos, sobretudo das nossas crianças e jovens.


 

Marco Gomes 

Diretor Regional de Educação



Anexos

Descritores