Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.

Slalom em cadeira de rodas no Desporto Escolar.

Atividade Motora Adaptada 17-03-2020 Direção Regional de Educação
Slalom em cadeira de rodas no Desporto Escolar.

O Slalom em cadeira de rodas é uma modalidade destinada a atletas em cadeira de rodas, seja ela eléctrica ou manual, que consiste na realização de um percurso previamente definido, com um determinado conjunto de regras, obstáculos e limites, no menor tempo possível. Ao longo do percurso os atletas poderão ter de contornar obstáculos, subir rampas, passar por túneis e outros espaços exímios, efectuar rotações e mudanças de direção e realizar outro de tipo de habilidades semelhantes. O percurso encontra-se devidamente sinalizado e delimitado, pelo que a infração desses elementos ou a realização de outro tipo de movimento não autorizado implica uma ou mais penalizações, que por sua vez, se traduzem em acréscimos do tempo final da prova. Para além deste percurso de habilidades, de maneira a potenciar o tempo em atividade dos atletas, nesta competição realizou-se também um percurso de velocidade, cujo desempenho equivaleu a 1/4 da pontuação final do atleta.

Esta modalidade, que tem verificado uma relativa expansão em Portugal, pertence, desde o ano letivo passado, ao calendário de competições da Atividade Motora Adaptada da Direção de Serviços do Desporto Escolar (DSDE). Após essa atividade inicial, onde foram dados os primeiros passos em relação à viabilidade e desenvolvimento desta modalidade, este ano a organização apostou numa competição na Praça do Povo, com o intuito não só de rentabilizar os recursos materiais e humanos já existentes, devido às atividades da DSDE relativas ao 1º Ciclo que decorreriam em simultâneo mas também como forma privilegiada de dar a conhecer esta modalidade praticamente desconhecida aos transeuntes. E foram muitas as pessoas, entre turistas e locais, que pararam um pouco para apreciar o desenrolar desta competição naquela que foi uma bela manhã de sol na cidade do Funchal.

A introdução desta modalidade, juntamente com o Boccia em Equipas, permitiu desde o ano letivo passado, triplicar a oferta de atividades específicas destinada aos alunos e utentes em cadeira de rodas, comprovando assim o forte investimento que a DSDE tem feito na realização de desportos específicos para alunos e utentes com deficiência.

Quanto à competição em si, participaram alunos da Escola Secundária Francisco Franco, da Escola Eng. Luís Santos Costa, da Escola Básica e Secundária de Santa Cruz e utentes do Centro de Atividades Ocupacionais de Machico, da CRPS da Sagrada Família e da Associação de Paralisia Cerebral da Madeira. Na categoria dos atletas em cadeira de rodas eléctrica, subcategoria propulsão membros superiores, a competição foi vencida pelo Eusébio Camacho da APCM e na subcategoria de propulsão membros inferiores ficou em primeiro lugar o atleta Francisco Gouveia da Escola Básica e Secundária de Santa Cruz. Na categoria de cadeira de rodas eléctrica, a categoria com maior de atletas participantes e onde se verificou uma acesa discussão pelos lugares do pódio, a vitória final sorriu ao atleta Hélio Freitas da APCM.

Evidentemente uma competição deste género não seria possível sem a colaboração de todos os profissionais presentes, bem como de todas as entidades que, uma maneira ou de outra, contribuíram para a realização da mesma.

 

 

"O impacto visual de uma competição deste género é muito importante, porque permite que se encare as pessoas que se deslocam em cadeira de rodas como atletas capazes de competir ao nível desportivo, abrindo assim os horizontes do que é possível desenvolver com este tipo de população."