Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.

Madeira na vanguarda da inovação educativa

"O ‘Projeto dos Manuais Escolares Digitais’ na RAM só pode ser vista com júbilo e emoção, sendo uma boa prática que deve ser implementada no restante território nacional", sustenta José Miguel Sousa. 27-08-2019 Educação, Ciência e Tecnologia
Madeira na vanguarda da inovação educativa José Miguel Sousa, professor, natural da Madeira, a viver e trabalhar em Mangualde, é diretor do Centro de Formação de Associação de Escolas EduFor, entidade reconhecida a nível nacional e internacional pelo desenho e implementação de projetos inovadores na área da educação. A sua opinião sobre o projeto dos manuais digitais que o Governo Regional, através da Secretaria Regional de Educação, implementa a partir do ano letivo 2019/20 (reproduzido de entrevista ao Diário de Notícias – 25/8/2019).

Premissas da Escola atual

“(...) os manuais digitais, em suporte ‘tablet’ com caneta, são um caminho possível, e aquele que julgo adequado para atingir mais facilmente as premissas de uma escola atual e capaz de contribuir efetivamente para que cada aluno atinja o preconizado no ‘Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória’ (...).”

Situação única a nível nacional e europeu

“(Vejo ...) com emoção, por ser na terra onde nasci e fiz a escolaridade obrigatória e onde vejo o implementar de uma iniciativa educacional desta envergadura - abrangendo todos os alunos de um mesmo ano de escolaridade da Região. Esta é uma situação única a nível nacional e, pelo que conheço, também única a nível europeu.”

Mudança efetiva

“Trata-se de uma efetiva mudança das práticas nas escolas (da Região) (...), envolvendo mais de 2000 alunos. A 16 de Agosto de 2017, faz agora dois anos, a Assembleia da República (AR) publicou uma Lei sobre a ‘Desmaterialização de manuais e de outros materiais escolares’ (...)que pretendia o fomento, o desenvolvimento e a generalização da desmaterialização dos diversos recursos educativos, em especial os manuais digitais. Passaram-se dois anos e pouco mudou na prática.”

Boa prática

“No passado mês de Julho a Direcção-Geral de Educação lançou, junto de todas as escolas do continente, uma campanha de sensibilização para a questão do peso excessivo das mochilas, designada de ‘Mochila Leve’. Algumas das recomendações desta campanha assentam no pressuposto de que hoje já estão disponíveis licenças digitais dos manuais. Assim, o ‘Projeto dos Manuais Escolares Digitais’ na Região Autónoma da Madeira só pode ser vista com júbilo e emoção, sendo uma boa prática que deve ser implementada no restante território nacional.”

Docentes motivados

“Docentes motivados é um dos pilares para o sucesso de qualquer renovação das práticas em sala de aula, que é no fundo o que aqui está em causa. Por muita vontade política que exista, por muita coordenação das direções das escolas, por muita organização que exista na planificação da intervenção, não existe sucesso de políticas educativas sem docentes motivados. E o que vi nesse dia, foi uma audiência motivada e desejosa de renovar e atualizar as suas práticas.”

Seriedade e dedicação

“Sempre me interessei pelo que de bom se faz na educação, em particular na Madeira e tenho tentado acompanhar o que está a ser feito na implementação desta iniciativa. Na minha opinião, tudo está a ser planeado com muita seriedade e dedicação para que não se repitam erros que foram feitos em projetos piloto nesta área, tanto a nível nacional como a nível europeu.” 

Escolas decidem

“(O que) (...) está a ser feito na Madeira para esta iniciativa do GR, nomeadamente: serem as escolas a decidir por esta inovação e não aplicá-la por decreto - penso que a totalidade das escolas com 5.º ano aderiram ao convite do secretário regional da Educação; escolher equipamentos de qualidade e já testados em contextos análogos aos que vão ser aplicados - acresce aqui que desde Abril o modelo esteve a ser experimentado numa escola da Região [do Galeão]; verificar ‘in loco’ a adequação da rede internet nas salas do 5.º ano e reforçar equipamentos terminais (...); criar a figura de coordenador de escola para este ‘Projeto (...)’, um docente do 5.º ano com o perfil adequado, no fundo quem servirá de elo de ligação para tudo o que está e vai acontecer - penso que até foram atribuídas horas para o exercício da função através da publicação de um despacho específico (...).”

Oportunidade única a nível nacional

“O facto de as escolas da Região terem a oportunidade, única a nível nacional, de poderem escolher uma percentagem do seu corpo docente, contribui para escolher um docente com o perfil adequado; existir um plano de formação a longo prazo e com formadores em sintonia - um trabalho que está feito pela divisão de formação da direção regional de Educação, até em Agosto decorreram reuniões da equipa de formadores. Estes dados, apenas para destacar o modo como algumas das peças do puzzle estão a ser desenhadas.”

Enaltecer trabalho

“(...) é de enaltecer o trabalho que está em execução para criar condições para que no ano letivo de 2019/2020 todos os alunos do 5.º ano de escolaridade da Madeira passem a contar com os Manuais Digitais e ainda um suporte móvel, como um ‘tablet’, na sua mochila, ou seja, na sua sala de aula.”

Escola virtual

“É ainda de notar que o caminho pelo qual o GR optou não foi apenas o da aquisição dos Manuais Digitais e de um suporte para a sua leitura. Foi adquirida uma solução com outros materiais escolares desmaterializados, conteúdos complementares mas imprescindíveis - refiro-me à Escola Virtual, da Porto Editora.”

Nada ao acaso

“(...) Estamos ainda na fase inicial desta nova realidade, mas até ao momento, pelo que tenho observado, as peças do puzzle estão a ser desenhadas para se encaixarem adequadamente. Nada tem sido deixado ao acaso. Por exemplo, os responsáveis por duas das estruturas da secretaria regional de Educação que estão diretamente envolvidas na gestão e acompanhamento de todo o processo, a Divisão de Formação de Pessoal da direção regional de Educação e a Equipa AIA (Ambientes Inovadores de Aprendizagem), estiveram no continente em Julho, com o objetivo de visitar vários parceiros envolvidos na iniciativa, bem como participar em reuniões com docentes com experiência no terreno.”

Segurança e proteção

“(...) a questão da segurança e proteção de dados é crucial. Mas até nesta matéria esta iniciativa da secretaria regional de Educação está a ser inovadora. Sei que o GR, no sentido de assegurar a confidencialidade dos dados dos alunos e professores e garantir a melhor utilização dos recursos, vai utilizar uma plataforma de segurança certificada pelo Gabinete Nacional de Segurança possibilitando a utilização dos Manuais Digitais nos ‘tablets’, no respeito pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD). A instalação de software e apps também pode ocorrer através desta plataforma, se considerado necessário.”

Boa notícia

“(...) dar os parabéns ao DIÁRIO por fazer notícia com que de bom se faz na Educação. Mesmo em tempo de férias é sempre um prazer conversar convosco. A Madeira tem muito a partilhar sobre o trabalho feito nas suas escolas para a promoção do real sucesso das crianças e dos jovens.”

Apostar em projetos inovadores

“Sobre as recomendações, o que me dita a experiência e o conhecimento de realidades a nível nacional e internacional, é que o poder político da Madeira deve continuar a apostar em projetos de sua iniciativa, inovadores, como este que assenta em recursos digitais, planeando-os de modo tão assertivo como está a acontecer.”

Formação dos docentes

“A formação dos docentes - peça fundamental para o sucesso e sustentabilidade de iniciativas deste tipo - contínua e continuada ao longo do todo o processo de utilização destes recursos digitais, assumindo diversificadas metodologias, será uma grande mais-valia.”

Trabalho colaborativo

“As direções das escolas envolvidas devem apropriar-se deste ‘Projeto dos Manuais Escolares Digitais’ e senti-lo como seu. Criar condições para que, em cada sala, alunos e professores, estejam preparados para esta mudança de práticas que aqui se preconiza; os professores devem aproveitar esta oportunidade para o trabalho colaborativo entre pares, tanto a nível do conselho de turma, como a nível do grupo disciplinar, bem como a nível inter-escolas; os docentes devem, também, envolver-se na formação que vai ser disponibilizada e identificar novas necessidades de formação que possam surgir (...).”

Melhorar as aprendizagens

“(...) os pais e encarregados de educação devem valorizar a escola que está a criar estas condições para um ensino atual e renovado; aos alunos, estejam atentos às recomendações sobre a utilização e segurança que vão ser dadas para o uso dos ‘tablets’ e manuais digitais; à sociedade em geral, que valorize a escola que quer ser atual e do século XXI. Vários estudos apontam que o uso dos recursos digitais em contexto educativo podem ser um motor para melhorar as aprendizagens. Esta é uma oportunidade para a renovação da escola que está a ser criada pela secretaria regional da Educação e que não pode deixar de ser aproveitada por todos, com todos, e em toda a sua plenitude.”

Alunos são os beneficiários

“Os beneficiários de tudo o que fazemos em educação são os alunos, mas o sucesso desta iniciativa depende do modo como as direções das escolas, os docentes e a comunidade educativa se posicionarem para a sustentabilidade da desmaterialização de manuais e de outros materiais escolares. Esta iniciativa da secretaria regional da Educação e do Governo Regional é uma oportunidade que a comunidade educativa deve agarrar.”