Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.

Será a repetição de ano benéfica para os alunos?

O objectivo deste trabalho, publicado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos e da autoria de Luís Catela Nunes, Ana Balcão Reis e Carmo Seabra, é medir o impacto resultante do facto de se obrigar um aluno a repetir um ano no seu desempenho académico subsequente. Pretende-se responder à seguinte questão: para os alunos que ficaram retidos, como é que os seus resultados académicos se comparam com os resultados académicos que teriam tido se não tivessem ficado retidos? 21-02-2017 Inspeção Regional Educação
Será a repetição de ano benéfica para os alunos?

"De acordo com os dados da OCDE para 2012, 12% dos alunos de 15 anos dos

países da OCDE indicaram que tinham repetido pelo menos um ano durante
a escolaridade obrigatória, e 7% dos alunos tinham repetido um ano pelo
menos uma vez nos dois primeiros ciclos (primária) 1.
A incidência da retenção é bastante heterogénea entre países, indo de
nenhuma retenção em alguns países, como o Japão e a Noruega, até um conjunto
de países, Portugal incluído, onde entre 30% a 39% dos alunos repetem

um ano pelo menos uma vez antes dos 15 anos de idade. (...)"