Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Manuais digitais em fase de projeto piloto no 10º ano de escolaridade

Presidente do Governo recordou que hoje há mais de 6.800 alunos com ensino assente no digital na Região. Miguel Albuquerque diz tratar-se de uma aposta decisiva para o futuro. 12-10-2021 Presidência
Manuais digitais em fase de projeto piloto no 10º ano de escolaridade

O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, visitou terça-feira, 12 de outubro, a Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco, no âmbito do projeto piloto “Manuais Digitais” no Ensino Secundário.

O projeto piloto envolve para já uma turma do 10º ano daquele estabelecimento de ensino, tendo por propósito o alargamento dos manuais digitais a todas as turmas do 10º ano de escolaridade já no próximo ano letivo.

Na ocasião, o Chefe de Governo recordou que para 6.832 crianças e jovens, que frequentam o 5º, 6º e 7º ano de escolaridade, assim como o 8º ano em escolas dos concelhos da Calheta, Ribeira Brava e São Vicente, o ensino tem já por base os manuais digitais.

“Pensamos que é uma forma inovadora e importante de garantir uma melhor qualidade do ensino e sobretudo um ensino moderno e vocacionado para a sociedade do futuro”, indicou Miguel Albuquerque.

O líder do Executivo defendeu que a introdução progressiva dos manuais digitais no ensino na região autónoma, assim como o investimento na criação de salas do futuro e toda a necessária formação, que vem sendo assegurada aos docentes, constitui uma etapa decisiva para a Região

“É um investimento que nós vamos fazer nos próximos anos. Aliás, cerca de 22 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência estão alocados à digitalização, internet e robótica nas escolas”, disse Miguel Albuquerque.

“E a nossa ideia é concluirmos estas novas modalidades nos próximos anos, porque a sociedade no futuro vai ser uma sociedade digital.

E a Madeira só vai alcançar e ganhar competitividade se tiver a qualificação e a formação das novas gerações. Não tenham dúvidas sobre isso. A qualificação e a educação são as ferramentas decisivas para o nosso futuro desenvolvimento”, concluiu.