Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Albuquerque exorta jovens a conhecer o passado

Dimensão humana presente no livro “Imagens e Memória do Concelho de Machico” é uma porta aberta para as vivências simples dos nossos antepassados, marcadas também pela penosidade, a dureza do trabalho e a condição de pobreza da maioria da população madeirense no séc. XIX e parte do séc. XX 10-01-2022 Presidência
Albuquerque exorta jovens a conhecer o passado

“A identidade tem muito que ver com a consciencialização daquilo que somos, de onde viemos, quais as nossas raízes e quais os valores comuns que atravessaram diversas gerações”.

As palavras do Presidente do Governo Regional aos presentes no lançamento do livro “Imagens e a Memória do Concelho de Machico”, um projeto do Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira, foram dirigidas, de modo particular, às novas gerações de madeirenses e porto-santenses que não viveram e não conheceram a sua Terra nos anos anteriores a 1976, período anterior à Autonomia Política e à democracia.

Reiterando que um povo só pode perspetivar o futuro, conhecendo o presente e o passado, Miguel Albuquerque, recordou, apoiado nas imagens da obra hoje lançada no Fórum Machico, a qual apresenta, através do registo fotográfico, “uma dimensão muito importante do ponto de vista humano”, a penosidade e a dureza do trabalho, as vivências simples e a pobreza extrema da maioria dos madeirenses ao longo do século XIX e grande parte do século XX.

“[Através deste livro] percebemos, na verdade, que a sociedade madeirense foi uma sociedade altamente estratificada, onde a maioria da população tinha vivências muito difíceis”, disse o Chefe do Governo, na sua intervenção.

“Este é, portanto, um retrato importante para as novas gerações, que devem ter consciência da História marcada pelas dificuldades, angústias, sofrimentos e da penosidade da vida dos nossos antepassados”, continuou.

Miguel Albuquerque salientou que a democracia, a ciência e a tecnologia permitiram à sociedade madeirense evoluir para patamares que os nossos avós e bisavós jamais conheceram.

A obra “Imagens e Memória do concelho de Machico” reúne fotografias captadas desde as décadas de 1860 -1870 até aos anos 70 do século XX, retratando, não só a dimensão humana, mas também aspetos do património edificado, das paisagens e eventos históricos como a aluvião de 1956 e a revolta da Madeira de 1931.


Anexos

Descritores