Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Início das aulas e aumento de passageiros sustentam uso obrigatório de máscara

Presidente do Governo explicou hoje que a conjuntura regional sofrerá alterações substanciais nos próximos dois meses, agravando o risco de contágio e o surgimento de cadeias de transmissão 31-07-2020 Presidência
Início das aulas e aumento de passageiros sustentam uso obrigatório de máscara O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, explicou, aos jornalistas, esta sexta-feira, 31 de julho, que a conjuntura na região autónoma sofrerá alterações substanciais nos próximos dois meses: a abertura do ano letivo com 43 mil alunos e 6 mil professores em circulação e o aumento do número de passageiros desembarcados – estimados 70 mil em agosto e 80 mil em setembro, mais de o dobro dos 31 mil registados em julho.

“Isto significa que temos de redobrar cautelas”, indicou Miguel Albuquerque, sublinhando que a decisão é apoiada na recomendação da Organização Mundial de Saúde, que sustenta o efeito dissuasor da máscara na transmissão do vírus.

“Nós vamos ter dezenas de milhares de pessoas a entrar na Madeira – e ainda bem – algumas delas provenientes de países com índices de infeção muito elevado, como é o caso do Reino Unido, Alemanha, Espanha e França.

E eu tenho dito desde o início. A minha obrigação, enquanto Presidente do Governo é dar prioridade absoluta à salvaguarda da saúde e da vida dos madeirenses e porto-santenses”, continuou.

Miguel Albuquerque vincou que a Madeira e o Porto Santo têm que se manter na vanguarda da prevenção por forma a evitar o surgimento de cadeias de infeção, as quais podem tornar-se incontroláveis e conduzir à adoção de medidas com implicações sociais e económicas bem mais gravosas e penalizadoras.

“É melhor pecar por excesso do que pecar por negligência e incompetência. É melhor tomar decisões do que aguardar por maus resultados”, concluiu.