Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Pico da gripe trará maior exigência e pressão sobre os serviços de Saúde

Plano da Saúde hoje apresentado antecipa e define procedimentos para os próximos meses, especialmente dezembro e janeiro. Miguel Albuquerque disse que mais uma vez a Região enfrenta os problemas com realismo e responsabilidade 16-10-2020 Presidência
Pico da gripe trará maior exigência e pressão sobre os serviços de Saúde

“Mais uma vez, a Região Autónoma da Madeira enfrenta os problemas com realismo e responsabilidade”, disse, hoje, na sua intervenção, o Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, na apresentação do Plano da Saúde para o Outono-Inverno, um plano estratégico com o objetivo de preparar e dar resposta, não só face a um eventual crescimento pandémico da COVID-19, mas também a todas as necessidades em saúde da população da Madeira e Porto Santo.

Na ocasião, Miguel Albuquerque elencou os três grandes desafios que se colocam aos profissionais de saúde e à população em geral, nos próximos meses, no que concerne à prevenção e contenção da COVID-19.

O governante recordou que, tal como era expectável, a pandemia a nível global e em particular em Portugal Continental está a atingir novos picos, sendo necessário que, em primeiro lugar, na Região, a população mantenha o sentido de responsabilidade no cumprimento das medidas da Autoridade Regional de Saúde.

Acresce que, conforme referiu o governante, registar-se-á, sobretudo nos meses de dezembro e janeiro um aumento do número de casos de gripe e de doenças respiratórias, o que implicará um esforço acrescido e um duplo desafio aos profissionais e aos serviços de saúde.

“O pico da gripe trará maior exigência na capacidade de resposta e maior pressão sobre os serviços”, apontou Miguel Albuquerque.

“E isso vai obrigar, numa situação como a que temos neste momento, a um esforço acrescido dos profissionais e à reformulação e reestruturação dos serviços, como está a acontecer, tendo por base este plano, no sentido de garantirmos uma boa resposta e sobretudo para não existir pânico na população: uma pessoa com sintomas de gripe não é necessariamente um infetado com o vírus do COVID”, prosseguiu.

O Chefe do Governo disse ainda que o terceiro desafio tem que ver com os envolvidos no combate terem e manterem presente a hierarquia das políticas públicas neste tempo muito particular.

“A prioridade número um do Governo Regional da Madeira é a salvaguarda da saúde e da vida dos nossos concidadãos. E, portanto, nós vamos continuar a fazer tudo o que é necessário para alocar recursos no apoio aos profissionais e à reformulação de infraestruturas”, concluiu.

O plano estratégico, elaborado pelo Grupo Coordenador do Programa de Prevenção e Controlo de Infeção e de Resistência aos Antimicrobianos do Serviço Regional de Saúde, visa minimizar o impacto das infeções, nomeadamente da COVID-19, da gripe e de outros vírus respiratórios, mantendo os cuidados de saúde em segurança a outros doentes com outras patologias.