Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Câmara de Lobos tem tido desenvolvimento extraordinário

O presidente do Governo Regional diz que o que se tem feito em Câmara de Lobos é extraordinário. E elogiou os presidentes da Junta de Freguesia, que têm sido bem escolhidos pela população. 09-08-2019 Presidência
Câmara de Lobos tem tido desenvolvimento extraordinário

Miguel Albuquerque diz que o que se em feito em Câmara de Lobos é extraordinário. Para tal, lembra, contribui muito o facto de o povo de Câmara de Lobos ter sabido traçar o seu destino, pelo que «vai deixar às novas gerações um legado de prosperidade, de progresso, de educação, de formação, que nada tem a ver com o passado».

O presidente do Governo Regional falava, há pouco, durante a Festa do Peixe-Espada preto, uma organização da Junta de Freguesia local. Para reiterar que, também no quadro atual do desenvolvimento de Câmara de Lobos, «o povo tem sabido acompanhar e entender o que se pretender para este concelho, que tem grandes potencialidades, do ponto de vista da produtividade agrícola, do ponto de vista da pesca, do ponto de vista do turismo, do património, da cultura».

O que se tem feito, disse, em Câmara de Lobos tem sido extraordinário. «Nós estamos a centrar um dos principais polos turísticos aqui no concelho», enalteceu ainda.

O líder madeirense considerou ainda que «Câmara de Lobos tem sido muito inteligente na escolha dos presidentes de Junta». Neste sentido, fez forte elogio ao antigo presidente, Higino Teles, sublinhando que o mesmo «nunca virou a cara à população e está sempre próximo ao povo, porque é assim que se faz política em democracia». Forma de atuar que, enaltece, fez escola e que se estendeu até ao presidente da Junta atual, Celso Bettencourt, que «continua com uma política de proximidade à população, ouvindo as pessoas e auscultando as populações», como também é o caso do presidente da Junta do Estreito, Gabriel Pereira, «outro exemplo de como se faz política na Madeira».

Neste sentido, sublinhou: «Tenho pena de certos políticos que não tiveram a escola das Juntas de Freguesia e como tal não sabem falar com as pessoas», num remoque com destino claro.


Anexos

Descritores