Madeira é quem mais contribui para a rede nacional de áreas marinhas protegidas

A Região Autónoma da Madeira, através da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, integra o Grupo de Trabalho para as Áreas Marinhas Protegidas (GT-AMP), coordenado pelo Ministério do Mar. 16-01-2018 Ambiente e Recursos Naturais
Madeira é quem mais contribui para a rede nacional de áreas marinhas protegidas A Madeira é, entre as quatro regiões marinhas portuguesas (Continente, Madeira, Açores e Extensão da Plataforma Continental), a que mais contribui para atingir os compromissos internacionais. Efetivamente, 70% do seu mar territorial (12 milhas) é já Área Marinha Protegida (AMP) e, com a validação da candidatura do complexo marinho Madeira-Tore, serão atingidos os 20% de AMP de toda a subárea dois da ZEE portuguesa (200 milhas). 

A Região Autónoma da Madeira, através da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, integra o Grupo de Trabalho para as Áreas Marinhas Protegidas (GT-AMP), coordenado pelo Ministério do Mar. O GT-AMP envolve entidades do Continente e das Regiões Autónomas com distintas competências e valências na área do mar, desde Ministérios (Mar, Negócios Estrangeiros), instituições de caráter técnico-científico (Instituto Hidrográfico, Instituto Português do Mar e da Atmosfera, Instituto de Conservação da Natureza e Florestas), Universidades e ONG’s (Fundação Oceano Azul, SPEA), que tem por principal objetivo a produção de um documento de base que avalie e oriente o processo de criação da Rede Nacional de Áreas Marinhas Protegidas.



Anexos

Descritores