Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Centro de Processamento de Banana de São Martinho

Investimento total de 9.350.000 € 18-11-2019 Agricultura e Desenvolvimento Rural
Centro de Processamento de Banana de São Martinho

O Secretário Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Dr.º Humberto Vasconcelos, apresentou oficialmente o projeto de construção do novo Centro de Processamento de Banana de São Martinho, que representa um investimento total de 9.350.000 €, dos quais 5.625.000 € serão financiados a fundo perdido, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira (PRODERAM), e 3.725.000€ suportados pela GESBA, empresa pública que gere todo o sector da banana na Região.

Este novo Centro de Processamento de Banana de São Martinho corresponde a um imperativo de mercado, nomeadamente no que concerne à qualidade e ao fundamental aumento da capacidade de tratamento em condições de certificação exigidas.

A unidade industrial, que está a ser implementada numa área de 6.000 m2, junto ao Mercado Abastecedor do Funchal, com capacidade para processar 100 toneladas de banana por dia, contará com seis linhas de processamento, cinco convencionais e uma biológica.

Na ocasião, o Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural anunciou que o Centro de Processamento de Banana de São Martinho deverá ficar concluído dentro de sensivelmente um ano e meio, em Julho de 2021, e valorizou a linha destinada à produção biológica.

“Nesta legislatura o Governo Regional vai procurar adaptar o mais rapidamente possível toda a produção agrícola às alterações climáticas, na valorização do meio ambiente e na promoção da qualidade excecional dos nossos produtos, neste caso da banana, também como forma de proporcionar e potenciar mais rendimento aos agricultores. Nesse sentido, a linha de processamento biológico é um presente para o futuro. Uma solução para um futuro mais sustentável para todos nós”, explicou Humberto Vasconcelos.