Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Governo já investiu 11,25 M€ em Câmara de Lobos para tratamento águas residuais e redes de esgotos

A secretária regional elogiou o interesse dos jovens pelas questões ambientais, sublinhando que «os jovens estão, e bem, cada vez mais conscientes da importância de preservar a qualidade do ambiente e mobilizados no combate às alterações climáticas e à poluição do mar». 08-05-2019 Ambiente e Recursos Naturais
Governo já investiu 11,25 M€ em Câmara de Lobos para tratamento águas residuais e redes de esgotos A Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, através da Águas e Resíduos da Madeira (ARM), já investiu 11,25 Milhões de euros em Câmara de Lobos para tratamento das águas residuais e redes de esgotos. Susana Prada, durante uma visita realizada com alunos da Escola Básica e Secundária do Carmo, à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Câmara de Lobos, lembrou que, em 2016, «o Governo Regional investiu 0,75 M€ na ETAR do Curral das Freiras; em 2017, investiu 8 M€ na ETAR de Câmara de Lobos e lançou 14 KM de novas redes de águas residuais e que o resultado disso foi a melhoria na qualidade das águas balneares, este ano contamos com uma água balnear de qualidade boa e outra de qualidade excelente».

A secretária regional elogiou o interesse dos jovens pelas questões ambientais, sublinhando que «os jovens estão, e bem, cada vez mais conscientes da importância de preservar a qualidade do ambiente e mobilizados no combate às alterações climáticas e à poluição do mar».
Durante a visita, houve oportunidade para explicar que a existência de ETAR em zonas litorais visa, exatamente, assegurar a melhoria da qualidade das águas costeiras e não a sua contaminação.

A governante recordou ainda que a ETAR de Câmara de Lobos é essencial para que a Região, e o Estado Português, possa cumprir a legislação nacional e comunitária, salvaguardando a proteção do meio ambiente e a qualidade das águas balneares. Neste momento, apenas o Funchal está em incumprimento.



Anexos

Descritores