Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Polícia Florestal apreendeu 7 veículos pesados

Polícia Florestal apreendeu 7 veículos pesados O Corpo de Polícia Florestal apreendeu sete veículos pesados e levantou 12 autos de contraordenação referentes a descargas ilegais de terras e resíduos de construção e demolição na Região, parte de um grande trabalho que este órgão de polícia criminal vem desenvolvendo em prol da segurança das populações e do nosso património.
Do expediente contraordenacional, em 2019, fazem ainda parte vários autos de notícia concernentes ao Regime Silvopastoril, com 38 registos, a incêndios/queimadas, com 26 registos e uma detenção, a atividades lúdicas desportivas não licenciadas, com 22 registos e corte ilegal de árvores, com 18 anotações. A extração de inertes e a transformação de terrenos florestados finalizam o restante expediente.
Para mais, durante 2019, esta força policial ainda realizou várias operações de socorro e resgate, ações de sensibilização, apoio ao agricultor, rondas, vistorias entre outros.
Para o desempenho das suas funções, os investimentos realizados por parte do Governo Regional têm sido determinantes, não só a nível de equipamentos, mas também de infraestruturas como a renovação de 12 postos florestais e 6 torres de vigilância a incêndios florestais.
Recorde-se que um dos investimentos recentes foi a aquisição de drones, “uma aposta ganha”, no entender do presidente do Instituto de Florestas e Conservação da Natureza, Manuel Filipe, que foi estendido aos Vigilantes da Natureza para cumprimento da sua missão. “A utilização dos drones, em algumas situações e em alguns trabalhos, permite um ganho substancial em eficiência e permite, acima de tudo, efetuar esses trabalhos em segurança” referiu o responsável.
O Corpo de Polícia Florestal é um serviço de polícia auxiliar do serviço da Secretaria Regional que tutela o setor florestal, exercendo as suas atribuições na direta dependência do dirigente máximo desse serviço.
A sua atividade é desenvolvida em duas vertentes distintas, uma enquanto auxiliares dos técnicos do IFCN, IP-RAM, através do acompanhamento de atividades técnico-científicas no campo, como sejam a recolha de informação, a identificação de incidências anómalas, o apoio à investigação e a intervenção em ações de carácter técnico, outra enquanto órgão de polícia criminal, através de uma ação de policiamento, fiscalização, vigilância e investigação no âmbito da legislação Florestal e Penal.
Está a decorrer o concurso externo para o preenchimento de 10 vagas para a Carreira Especial de Guarda Florestal, carreira esta que deve ser revista no decorrer do presente ano. 


Anexos

Descritores