Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Drones reforçam vigilância florestal

Instituto de Florestas e Conservação da Natureza tem ao seu dispor uma nova forma de vigilância. 04-02-2020 Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas
Drones reforçam vigilância florestal Dando continuidade ao reforço de meios para a vigilância das serras da Região, o Governo Regional, através da Secretaria Regional de Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, dotou o Instituto de Florestas e Conservação da Natureza com aeronaves multirotores não tripuladas (Drones), permitindo modernizar e optimizar o trabalho do Corpo de Polícia Florestal que brevemente será estendido ao Corpo de Vigilantes da Natureza com a aquisição de mais 3 drones cujo investimento foi de 5 mil euros.
Para a secretária regional de Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, a aquisição destes aparelhos irá permitir uma melhor vigilância ao mesmo tempo que garante a salvaguarda de bens e pessoas. “Os drones fazem parte de um leque de equipamentos que temos vindo a adquirir para uma melhor vigilância da nossa natureza, particularmente em locais de difícil acesso possibilitando desta forma uma maior segurança destes profissionais, além de desempenharem um papel dissuasor”, disse Susana Prada, adiantando que só em 2019, ano em que foi usado pela primeira vez este equipamento, foram mais de 100 horas o patrulhamento realizado por estes aparelhos.
Importa referir que para o adequado funcionamento destes aparelhos, o Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, capacitou elementos do Corpo de Polícia Florestal e Corpo de Vigilantes da Natureza com uma formação específica em pilotagem neste tipo de aparelhos, que foi ministrada pelo Aeroclube da Madeira.
Recorde-se que o Corpo de Vigilantes da Natureza tem como atribuições zelar pelo cumprimento das leis e regulamentos relativos à proteção e conservação da natureza e ambiente, exercendo funções de fiscalização, dissuasão e vigilância em todas as áreas protegidas da Região.
Para além das missões de fiscalização e vigilância, presta apoio direto a reconhecidos trabalhos de conservação, cumprindo ainda um importante papel em outras áreas, como sejam: a sensibilização da população para as boas práticas ambientais e salvaguarda da biogeodiversidade; a recolha e encaminhamento de animais selvagens, especialmente aves marinhas e rapina e apoio em situações de emergência às comunidades locais.


Anexos

Descritores