Aprender fazendo é fundamental

Jorge Carvalho destacou qualidade dos projetos no concurso “Ciência na Escola”. 06-02-2018 Educação
Aprender fazendo é fundamental Dos 17 projetos de escolas da Região Autónoma da Madeira apresentados no concurso “Ciência na Escola”, 11 foram premiados a nível regional e estão agora na lista de candidatos aos prémios nacionais. Números destacados pelo Secretário Regional de Educação, Jorge Carvalho, na entrega de prémios realizadas sexta-feira (2 de fevereiro). «Estes prémios demonstram a qualidade que envolve as quase duas dezenas de escolas e os cerca de 350 alunos neste projeto», sublinhou o governante, elogiando a atitude dos estabelecimentos de ensino.
 
«Não se limitam à transmissão do conhecimento mas procuram condições para que esse conhecimento possa ser experimentado e praticado, criando condições para que os alunos desenvolvam projetos que vão ao encontro de uma ciência que se pretende humanizada. Estamos a proporcionar aos nossos alunos condições para crescerem e aprenderem fazendo, aspeto fundamental do nosso processo de ensino-aprendizagem que tem sido muito bem interpretado pelas escolas», concluiu Jorge Carvalho.
 
O concurso “Ciência na Escola”, iniciativa da Fundação Ilídio Pinho em parceria com o Ministério da Educação e o Ministério da Economia e com a colaboração da Secretaria Regional de Educação, é de âmbito nacional, destinado a todos os alunos do Pré-Escolar, dos 1.º, 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico e Ensino Secundário,  e visa incentivar o interesse das crianças e jovens em idade escolar pelas ciências através do apoio a projetos inovadores de educação e formação.
 
Este ano letivo, os projetos a concurso, subordinados ao tema “A ciência na escola ao serviço do desenvolvimento e da humanização”, pretenderam demonstrar as potencialidades da ciência e da tecnologia como oportunidades de resposta aos desafios e principais problemas do mundo atual, tendo em vista a criação de um mundo melhor para todos. Foram valorizados aspetos como a visão multidisciplinar dos projetos, a criatividade e inovação, o impacto social, o potencial de execução e o valor da ideia.
 
Aos projetos vencedores, a nível regional, foram atribuídos prémios de valor monetário para desenvolvimento dos mesmos. No 1.º escalão (Pré-Escolar) foi selecionada a EB1/PE Santana com o projeto “Pinóquio com ciência” e a EB1/PE da Ladeira e Lamaceiros com o projeto “Chá!?... Com amor!”, recebendo cada escola um cheque no valor de 200 euros.
 
No 2.º escalão (1.º Ciclo), venceram a EB1/PE da Ladeira e Lamaceiros com o projeto “CALHETA 4 ALL - Uma levada sem barreiras”, a EB1/PE do Estreito da Calheta com o projeto “Hidroponia: aproveitar o solo e a água”, a EB1/PE Lombo da Guiné com o projeto “Espadeladora mecânica do linho” e o projeto “Enferbot” da EB1/PE de Santana, recebendo um cheque no valor de 300 euros cada uma. 
 
No 4.º escalão (3.º Ciclo) ganhou a EB123/PE do Curral das Freiras com o projeto “Sementes com registo GPS” e a Escola Salesiana de Artes e Ofícios com o projeto “Sensores Piezoelétricos - uma questão de pressão…”, recebendo cada escola um cheque no valor de 500 euros.
 
Finalmente, no 5.º escalão (Secundário) venceu o projeto “BAOO - Barco Autónomo de Observação Oceânico” e o projeto “ROV Open-Source para estudo oceânico”, ambos da Escola Profissional Francisco Fernandes, e o projeto “EnergizAndo - Passo a passo, volt a volt” da Escola Secundária Jaime Moniz, recebendo um cheque no valor de 500 euros cada uma.
 
No total, neste concurso participaram cerca de 345 alunos da Madeira, 230 dos quais receberam prémio e passaram à segunda fase, onde irão desenvolver, com a orientação dos seus professores e a ajuda de algumas entidades parceiras, os seus projetos, agora também candidatos ao Prémio Final, na Fase Nacional.