Baixa natalidade não é só um problema da Educação

Jorge Carvalho confiante «no trajeto que a Região tem vindo a trilhar». 17-04-2018 Educação
Baixa natalidade não é só  um problema da Educação A Escola Básica dos 1.º, 2.º e 3.º Ciclos/PE Professor Francisco Manuel Santana Barreto (Fajã da Ovelha) comemorou, segunda-feira (16 de abril), 13 anos de atividade.
 
Para celebrar a efeméride, reuniu-se no ginásio daquele estabelecimento de ensino parte da comunidade educativa local, não apenas para a habitual demonstração dos talentos artísticos locais, mas também para a distinção, com diplomas de mérito e menções honrosas, de alunos dos diversos níveis de ensino.
 
Presente naquela comemoração, o Secretário Regional de Educação, Jorge Carvalho, referiu-se às preocupações manifestadas relativamente à baixa natalidade quer pelo Presidente da Câmara Municipal da Calheta, Carlos Teles, quer pelo Presidente do Conselho Executivo da escola, Delfim Lourenço. 

Tratando-se de uma problemática de nível europeu, nacional e regional, em relação à qual têm sido ensaiadas políticas diversas nem sempre como os resultados desejados, o responsável pela pasta da Educação fez questão de sublinhar que a mesma  «é uma preocupação social», que «cria constrangimentos, em primeira instância ao sistema educativo, mas não é só um problema da Educação, é uma questão de sustentabilidade social e diz respeito a todos nós». Ainda assim, Jorge Carvalho, manifestou-se confiante na melhoria do cenário, pois «o trajeto que a Região tem vindo a trilhar é fundamental para superarmos essa adversidade».  «É através da estabilidade social e laboral, e do desenvolvimento económico, que as famílias procuram criar condições para poder ter mais filhos», disse.
 
No tocante aos reflexos da baixa natalidade no sistema educativo regional, o Secretário Regional sublinhou a necessidade de garantir as melhores condições conducentes ao sucesso dos alunos. «Enquanto estiverem reunidas as condições do ponto de vista pedagógico, todos os estabelecimentos de ensino estarão em funcionamento. Mas, sendo essa a premissa para mantermos estabelecimentos em funcionamento, não temos dúvida que aspetos fundamentais como a socialização e a melhoria das condições de aprendizagem são também fundamentais», relevou o governante, referindo os docentes daquela escola da Fajã da Ovelha como um exemplo na superação de obstáculos.
 
«São os nossos professores, independentemente dos projetos em que estão inseridos, das soluções que a escola apresenta ou das problemáticas que a mesma tem de enfrentar, que  procuram no seu dia a dia encontrar as melhores respostas para que os nossos alunos, nos diferentes processos de formação e aprendizagem, possam encontrar o caminho do sucesso. Procuramos ser uma escola inclusiva, que procura responder a todos; ter uma resposta para cada um implica estarmos atentos a essa realidade e esta escola tem-no feito», elogiou Jorge Carvalho, referindo o ensino de português para estrangeiros e a formação de adultos ali ministrados como respostas e soluções diferenciadas para diferentes públicos.
 
A finalizar, o Secretário Regional congratulou a escola por, na lógica da inclusão que proporciona oportunidades a todos, reconhecer o mérito aos melhores alunos. «Não reconhecer a dedicação, o empenho, o trabalho, o mérito, é desvalorizar essa igualdade de oportunidades que a todos deve ser proporcionada», concretizou Jorge Carvalho.