Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Ensino das Artes é marca do sistema educativo regional

Garantia deixada por Jorge Carvalho no 11.º Congresso de Educação Artística. 03-09-2020 Educação, Ciência e Tecnologia
Ensino das Artes é marca do sistema educativo regional

O secretário regional de Educação, Jorge Carvalho, relevou o “peso” que o ensino das artes tem no sistema educativo regional, quer por estender-se desde o pré-escolar até ao ensino secundário, quer por envolver cerca de 400 professores, seja na vertente curricular, seja na vertente extracurricular. «É um projeto que, não só pela sua abrangência, mas sobretudo pela sua consistência, deixa uma marca significativa no sistema educativo regional, numa área tão importante na formação dos nossos alunos», sublinhou o governante, quarta-feira (2 de setembro), na sessão de abertura do 11.º Congresso de Educação Artística, relevando ainda vantagens advindas da fusão entre a Direção de Serviços de Educação Artística e Multimédia (DSEAM) e o Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira (CEPAM).


«Veio proporcionar uma educação integrada das artes, uma maior eficiência e mais qualidade ao ensino e à prática dessas mesmas artes, sendo os profissionais desta área o garante da concretização das aspirações das nossas crianças e dos nossos jovens», considerou.

 

Estando prestes a iniciar-se um novo ano letivo, Jorge Carvalho deixou uma mensagem aos professores, aos alunos e às famílias. «Estamos a preparar as nossas escolas para que o próximo ano letivo, que se inicia na próxima semana, possa ocorrer dentro da normalidade expectável no atual contexto, a fazer tudo o que está ao nosso alcance para que as aulas presenciais sejam sempre uma realidade. É com esse empenho, com essa dedicação e com essa motivação com que toda a comunidade educativa está a trabalhar» concluiu.

 

Prémio Educação Artística para
Francisco Caldeira e Porta 33 

 

Neste 11.º Congresso de Educação Artística, que decorre na EB23 Dr. Horácio Bento de Gouveia até sexta-feira (4 de setembro), foram atribuídos Prémios Educação Artística ao professor Francisco Caldeira, pela entrega à causa das artes e do ensino, com realce para a formação que ministrou, denominada “Viver com animação – estratégias para uma escola mais feliz!”, cujo impacto junto da comunidade educativa regional deu origem a um livro, e à Porta 33, uma associação cultural privada, sem fins lucrativos, declarada de Utilidade Pública, que tem desenvolvido ao longo dos últimos 30 anos uma intensa atividade no domínio da arte contemporânea.

 

«São distinções que fazem todo o sentido, neste caso, tratando-se de desempenhos de um professor com um percurso de vida dedicado ao ensino e de uma instituição que se distingue não só pelo trajeto que vem trilhando, mas também pelos projetos que tem em ação e pretende desenvolver», elogiou o secretário regional.

 

Este ano, o 11.º Congresso de Educação Artística conta com a participação de cerca de 200 participantes, 40 oradores e 30 formadores, e dadas as contingências atuais excecionais impostas pela Covid-19, realiza-se num regime misto, em que serão aliadas as funcionalidades 'à distância' a momentos presenciais, seguindo as normas que permitem manter todas as condições de higiene e segurança recomendadas pelas autoridades de saúde.

 

Todas as informações estão disponíveis em https://congresso-de-educacao-artistica.webnode.pt/.