Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Prémios doces como açúcar

Alunos madeirenses premiados em concursos de Expressão Plástica. 25-09-2020 Educação, Ciência e Tecnologia
Prémios doces como açúcar

Cerca de 40 alunos da Região foram premiados no âmbito de concursos de Expressão Plástica dinamizados pela Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia.


No concurso “Tenho um mundo no meu coração”, promovido em parceria com a empresa Delta Cafés, os alunos foram desafiados a ilustrar pacotes de açúcar com desenhos e pinturas de objetos de que gostassem, sonhos que quisessem concretizar, viagens que ambicionassem realizar, atividades que pretendessem desenvolver, com apenas três cores – vermelho, preto e branco.


Ao todo, o júri avaliou 203 trabalhos provenientes de 35 escolas, figurando agora os dez eleitos como os melhores em três toneladas de saquetas de açúcar que poderão ser encontradas nos estabelecimentos comerciais da Região. 


Ao Concurso Internacional de Expressão Plástica da Bulgária, alargado até ao ensino secundário, concorreram 659 trabalhos, provenientes de 42 escolas. Aqui os alunos foram desafiados a serem “artistas”, a executarem obras originais e criativas e a explorarem materiais e técnicas diversificadas de expressão plástica.


Nesta terceira participação da Região – única de Portugal no concurso que contou com 40 países –, 28 alunos madeirenses de 17 escolas viram o seu trabalho reconhecido, não só com os diplomas distribuídos esta sexta-feira (25 de setembro), mas também ao verem os seus trabalhos integrados na exposição coletiva, patente na Rusi Karabiberov Art Gallery, a realizar em data a definir.


O secretário regional de Educação, Jorge Carvalho, considerou aqueles prémios um reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvido pelos alunos e por toda a comunidade educativa naquela área do ensino.


«Apesar de todos os condicionalismos registados no final do ano letivo anterior, mantivemos as nossas dinâmicas o que revela a competência instalada nos nossos serviços e nos nossos profissionais, que não deixaram de olhar para as dificuldades como desafios e encontraram as respostas adequadas para que pudéssemos estar nesta cerimónia», sublinhou o governante, agradecendo aos encarregados de educação pelo contributo determinante para que tudo acontecesse dentro da normalidade possível.


«Vamos continuar a fazer tudo para que possamos manter estas dinâmicas educativas que caracterizam o nosso sistema e termos a satisfação de ver os trabalhos dos nossos alunos serem reconhecidos internacionalmente», concretizou Jorge Carvalho.