Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.

A Política Calimero

No início, era a dívida do passado, e que serviu de desculpa para quase tudo e sobretudo para o deserto de ideias que faria do Atacama ou do Sahara duas florestas tropicais. Se bem que o valor fosse sofrendo alterações, lá foram enganando os incautos. Mas ultimamente, esta malta simpática, tem refinado a estratégia e se esta não fosse tão descarada e descabida, até daria para rir. 07-03-2019 Secretaria Regional dos Equipamentos e Infraestruturas
A Política Calimero

A política deve ser um exercício contínuo de responsabilidade, de determinação e de coragem. Para um bom desempenho, além destes atributos, os políticos devem saber também compreender o passado, agir no presente e perspectivar o futuro. Só assim poderão servir condignamente quem neles depositou o seu voto, mas também a sua esperança.

Infelizmente em alguns quadrantes do panorama político regional estes atributos vão-se desvanecendo ao ponto de termos agentes políticos que não passam de marionetas amestradas, e que para os quais, o passado não é mais do que uma desculpa, o presente, um marasmo e o futuro, um abismo.

Quanto ao futuro, tentar compreender as visões alucinadas desta gente, é quase impossível, pelo menos para um adulto na plenitude das suas capacidades intelectuais. Quanto ao presente, é sofrimento bastante observar como a nossa capital está a ser desgovernada... a falta de ambição, as idiotices e as opções medíocres são mais que muitas, e que vão trazer dissabores num futuro muito próximo. Quanto ao passado, a incompreensão é assustadora, servindo este apenas como desculpa, e que desculpa.

No início, era a dívida do passado, e que serviu de desculpa para quase tudo e sobretudo para o deserto de ideias que faria do Atacama ou do Sahara duas florestas tropicais. Se bem que o valor fosse sofrendo alterações, lá foram enganando os incautos. Mas ultimamente, esta malta simpática, tem refinado a estratégia e se esta não fosse tão descarada e descabida, até daria para rir. 

Pois bem, afinal a culpa da frota dos camiões do lixo estar uma autêntica sucata é do executivo anterior do PSD... e que saiu em 2013, estamos em 2019... tanta lata, dava para carroçar alguns dos novos camiões. Mais uma vez, e no recurso patético ao passado, a culpa do estado actual das estradas municipais é dos executivos anteriores e da forma como fizeram as obras... não é uma desculpa de mau pagador... é mais uma desculpa de mau pavimentador.

Mas os recursos desta rapaziada para a vitimização são infindáveis, quando não é o passado, é o Governo, e neste âmbito a criatividade é generosa. São as obras da Lei de Meios e as intervenções nas ribeiras do Funchal e o trânsito. São as verbas do POSEUR para a CMF e que o Governo Regional aprovou... mas que está a condicionar... mas as obras afinal já arrancaram. Por último e numa encenação de mestre, atribuem às obras da Cota 500 o atraso numa obra camarária... o camião não passa... a sério? Não será falta de betuminoso? A culpa só pode ser do Governo...

Esta forma de fazer e de estar na política faz-me lembrar um desenho animado da minha infância, o Calimero.... um pobre pinto que chorava por tudo e por nada. Será coincidência... mas a triste personagem com a casca de ovo na cabeça foi inicialmente criada para um anúncio de um sabão... mas quem vende sabão, pode muito bem vender também pasta de dentes... È un’ingiustizia…


Anexos

Descritores