Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Rui Barreto visitou instalações de energias renováveis em Lisboa e na Comporta

O secretário regional da Economia, Rui Barreto, esteve, esta sexta-feira, em Lisboa, onde visitou, no campus do IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, as instalações da GS1Portugal, uma empresa na área da certificação energética. 23-01-2023 Economia
Rui Barreto visitou instalações de energias renováveis em Lisboa e na Comporta

Depois, Rui Barreto dirigiu-se para a Península de Tróia, na margem sul do rio Sado, onde visitou uma comunidade de energia renovável na Herdade da Comporta, tendo se inteirado do projeto, a forma como foi concretizado e o resultado da implementação.
Sobre este projeto, podemos ainda adiantar que as centrais de produção de energia solar fotovoltaica em regime de autoconsumo na Herdade da Comporta são destinadas ao abastecimento de energia dos serviços de captação e rega da Herdade. 
De acordo com os responsáveis por este projeto, as centrais que ali foram instaladas produzem cerca de 2.99 GWh de energia, renovável, equivalente ao abastecimento de energia de 1.100 habitações familiares.
À margem da visita, em Lisboa, Rui Barreto aproveitou para lembrar que a Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI), que gere um conjunto de instrumentos estruturais, designadamente, de financiamento, sistemas de incentivos, assistência empresarial, entre outros, acabou de abrir um aviso para apoio a fundo perdido destinado à descarbonização da indústria e que abrange também a Madeira e os Açores.
No essencial, sintetizou o secretário regional da Economia, este apoio que agora é disponibilizado através do IAPMEI, “irá permitir que empresas regionais possam também candidatar-se a este fundo, cujo objetivo é, em traços gerais, reduzir a peugada de carbono e aumentar a eficiência energética”.
Segundo o aviso agora aberto pelo IAPMEI e cujo prazo de candidaturas termina a 17 de fevereiro, a estes apoios podem concorrer empresas de qualquer dimensão ou forma jurídica, do setor da indústria, cujos projetos pretendam implementar processos e tecnologias de baixo carbono na indústria, a adoção de medidas de eficiência energética na indústria e, ou, incorporação de energia de fonte renovável e armazenamento de energia.


Anexos

Descritores