Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Revolução nos transportes salvaguarda trabalhadores

Instituto da Mobilidade e Transportes deu parecer positivo ao caderno de encargos. Concurso Internacional está em condições de avançar. 28-12-2019 Economia
Revolução nos transportes salvaguarda trabalhadores As alterações ao serviço de transportes terrestres na Madeira receberam 'luz verde' do Instituto de Mobilidade e Transportes, o que significa que o lançamento do concurso público internacional pode avançar, conforme previsto, já em 2020. 

O transporte de passageiros vai sofrer uma revolução tecnológica de alto nível, passando os autocarros a estarem integrados numa rede em que a Horários do Funchal (HF) será o operador interno. Os restantes operadores serão distribuídos por dois lotes, leste e oeste, que incluem também o Porto Santo.

Sobre o futuro dos cinco operadores de transporte terrestre que operam atualmente no mercado regional, Rui Barreto, secretário regional da Economia, diz acreditar que todos reúnem condições de concorrer ao concurso internacional e espera serem os transportadores regionais a ganhar a concessão. 

Todavia, garante o governante, a manutenção dos postos de trabalho está salvaguardada. 

Rui Barreto explica que foi incluída uma cláusula no caderno de encargos do concurso internacional para salvaguardar os funcionários. 

O caderno de encargos para parecer prévio do lançamento do concurso internacional foi entregue no passado dia 3, ao Instituto de Mobilidade e Transportes e prevê ganhos de eficiência para a rede de transportes, assegurando também, segundo Rui Barreto, melhor sustentabilidade ambiental. 

As alterações previstas incluem a uniformização da imagem dos autocarros na Madeira, uma forte aposta na tecnologia, na renovação das frotas, das paragens, gares e das zonas de transfega. 

A ideia é as redes estarem integradas, em 2021, numa plataforma digital única e haver depois um organismo de monitorização e de integração das redes, com uma chave de repartição para repartir os custos e os ganhos pelos vários operadores. 

Graças à nova plataforma, os passageiros passam a saber "onde estão, para onde vão, a expetativa do horário do autocarro e o tempo gasto no percurso da viagem. Vai também ser introduzido um bilhete único na Região Autónoma, passando a ser possível aceder a informação através de uma app e até comprar e carregar bilhetes via telemóvel. 

O investimento público, feito através da Horários do Funchal (HF), vai custar 34 milhões, implicando também outros operadores vencerem o concurso internacional a aplicação de capital, nomeadamente na renovação da frota, com inclusão de autocarros elétricos, segundo anunciou o secretário regional da Economia. Já no próximo ano, vão ser investidos 18 milhões para renovar viaturas e desenvolver software.

De referir ainda que as descidas de preços preconizadas este ano, com a redução dos passes sociais para estimular a utilização dos transportes públicos na Região vão manter-se no próximo ano, assim como os preços atualmente em vigor. 


O objetivo é também alargar, a médio prazo, a gratuitidade dos passes até aos 18 anos. O Governo regional, diz ainda Rui Barreto, vai reforçar as indemnizações compensatórias porque "tem de haver um período para as pessoas se adaptarem e optarem pelos transportes públicos em detrimento do carro".