Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Face às expetativas que foram criadas, Rogério Gouveia esperava mais das medidas do Governo da República de combate à inflação.

O Secretário Regional das Finanças esteve no Faial para falar do combate ao despovoamento nos Concelhos do Norte 07-09-2022 Finanças
Face às expetativas que foram criadas, Rogério Gouveia esperava mais das medidas do Governo da República de combate à inflação.

O Secretário Regional das Finanças afirmou hoje que “face à expetativa que foi criada, esperava mais das medidas do Governo da República”, para fazer face à escalada da inflação. Rogério Gouveia referiu, contudo, que “nenhum governo tem a tarefa facilitada para apresentar medidas que visem mitigar o aumento de custos, face à guerra na Ucrânia, mas que aguardava mais das medidas anunciadas.

Declarações do titular da pasta das finanças no fórum realizado na freguesia do Faial, conselho de Santana, subordinado ao tema da fixação de pessoas na costa norte, promovido pela rádio JM.

De acordo com Rogério Gouveia, “o combate ao despovoamento faz-se com investimento público para alavancar também o investimento privado”, dando o exemplo do Call Center instalado na freguesia do Faial, da responsabilidade da empresa ACIN. “Um bom exemplo, para além de proporcionar emprego a cerca de uma dezena de pessoas, com perspetivas de aumentar este número, é também uma forma de fixar as pessoas nestas zonas rurais”, sublinhou o Secretário das Finanças, "para além de rentabilização do património público já que o Call Center funciona num espaço pertencente à região".

Rogério Gouveia lembrou que o “Governo Regional tem realizado um conjunto de investimentos no Concelho de Santana, alguns em curso, como medidas complementares ao investimento privado, para fixar as populações e nomeadamente, dar aos jovens naturais ou de fora, a possibilidade de viver e trabalhar neste concelho”, como é o exemplo da área da habitação para além e na redução de impostos como é o caso da fixação de uma taxa de imposto sobre o IRC, às micro, pequenas e médias empresas que exerçam a sua atividade económica nos concelhos do Norte (Santana, São Vicente e Porto Moniz) e na ilha do Porto Santo. O Objetivo conforme adiantou, “é estimular o investimento e promover outros centros de interesse e polos de desenvolvimento nestes concelhos, será aplicável a taxa de IRC de 8,75% aos primeiros 25 mil euros de matéria coletável e vai permitir captar investimento, mais empresas e gerar emprego, fixando mais pessoas à terra”.

Ainda de acordo com o Secretário das Finanças, a “Rentabilização e Transformação da antiga escola de São Jorge num lar com capacidade para 92 camas. Esta infraestrutura ainda terá uma Unidade de Longa Duração e Manutenção integrada na Rede de Cuidados Continuados Integrados. A entrada em funcionamento deverá acontecer ainda este ano. Vai dar emprego a 60 pessoas e representa mais uma medida que vai permitir empregar pessoas desta zona”. Brevemente irá ser objeto de pedido de licenciamento de alterações na C.M de Santana.

Apesar do esforço do Governo Regional, “que não fica sentado à espera que os outros façam”, Rogério Gouveia sublinhou que “é importante que outras entidades venham ao terreno cumprir a sua parte e não deixar todo o peso em cima do Governo Regional”.

 


Anexos

Descritores