Governo Regional vai avançar com a criação do Estatuto do Cuidador independentemente dos “sucessivos atrasos” do Governo da República

“Temos vindo a aguardar com alguma expectativa a aprovação em termos nacionais do Estatuto do Cuidador Informal que, de resto, como não tem vindo a acontecer resolvemos avançar autonomamente”, revelou, Rita Andrade, Secretária Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, durante a Sessão de Abertura do Dia do Cuidador que se assinala hoje, 5 de novembro. 05-11-2018 Inclusão e Assuntos Sociais
Governo Regional vai avançar com a criação do Estatuto do Cuidador independentemente dos “sucessivos atrasos” do Governo da República

A governante sublinhou várias medidas implementadas em prol da proteção da população sénior na região, nomeadamente, “o reforço do apoio domiciliário, que hoje chega a cerca de 3.500 idosos, o alargamento do sistema de alerta integrado aos idosos que vivem sós, e a valorização e qualificação da ação dos cuidadores informais”.

O Governo Regional tem vindo a seguir o seu Programa de Governo, com os objetivos estratégicos de Valorização e Proteção da População Idosa, onde se incluem diversas medidas como a conceção do Plano Regional de Envelhecimento Ativo 2016-2019, atualmente com 91,2% de implementação.  Um Plano que visa a promoção de uma dinâmica de envolvimento e participação transgeracional na construção do processo de envelhecimento ativo e que é constituído por 3 eixos de intervenção, 9 objetivos, 68 medidas e 18 entidades parceiras.

“O grande objetivo do Plano Regional de Envelhecimento Ativo é promover as condições inerentes à salvaguarda da qualidade de vida ao longo de todo o processo de envelhecimento, potenciando a saúde, a autonomia, a independência, a participação, a segurança e a realização pessoal dos cidadãos”, concluiu a Secretária Regional com a tutela da Segurança Social.

 

 


Anexos

Descritores